Clássico mostra que vitória é consequência de trabalho a longo prazo

Dizem que em clássico não tem favorito, mas nem sempre é assim. No clássico paulista de ontem, o Corinthians não era favorito apenas por jogar na sua nova casa, com 37 mil loucos empurrando a equipe. Era porque tem um time pronto e um estilo de jogo definido.

A diferença de um trabalho a longo prazo não está apenas no placar de 2 x 0, mas também ficou evidente no comportamento tático em campo. Apesar de ambas equipes terem chegado para o clássico depois de boas apresentações no meio de semana, o Palmeiras não conseguiu segurar seu rival e conheceu sua terceira derrota seguida no Campeonato Brasileiro.

O entendimento da situação do Palmeiras vai além das quatro linhas. O técnico Ricardo Gareca foi contratado para montar um time competitivo e trazer de volta o espírito vencedor ao (quase pronto) Parque Antártica. Esse trabalho deve ser feito com atenção, tempo e em conjunto com a diretoria do clube, uma vez que as escalações variaram muito desde o início do ano passado ainda sob o comando de Gilson Kleina.

A exemplo do que vem sendo feito no Corinthians, desde a passagem do técnico Tite, o Palmeiras parece ter entendido que a chave para o sucesso é dar tempo suficiente ao treinador para que ele adote o melhor estilo de jogo e consiga entrosar seus comandados. O torcedor alviverde precisa entender que o objetivo esse ano é montar uma equipe competitiva para o ano que vem e esquecer essa história de ganhar títulos no ano do centenário. Centenário é uma celebração e não uma obrigação, e título é conseqüência de trabalho.

De imediato, já é possível notar um comportamento diferente dentro de campo. Gareca parece ter despertado vontade dos jogadores, que se doaram bastante, além de conseguir melhorar o sistema defensivo que se recompõe rápido quando perde a posse de bola.

O novo técnico e a diretoria sabem que as derrotas são parte do processo de montagem de qualquer equipe, mas também sabem que se não melhorarem a qualidade do plantel elas vão se tornar uma constante. Apesar das boas contratações, a pedido do treinador, é preciso buscar mais reforços.

Enquanto isso, pouco a se falar do Corinthians. Mesmo com novos nomes aparecendo nessa nova Era Mano, a filosofia de trabalho continua a mesma e o Timão segue entre os favoritos para a conquista do título. Elias foi o nome do jogo ontem e provavelmente será o nome de outros. Sem descartar o bom trabalho em equipe, que não por acaso, é a mesma características das equipes que estão no topo da tabela, valores individuais são o grande diferencial dessa equipe do Corinthians.

Crédito da foto: Divulgação/Nike



Jornalista Esportivo formado pelo Mackenzie e pela UCLA com passagem pela Rádio Bandeirantes, fundador do perfil Arquivo do Futebol (@futebolarquivo) e jornalista do MLS Brasil. Escreve para o Torcedores.com desde 2014. Twitter: @paulogcanova