Canteros e Eduardo viram opções para a estreia de Luxemburgo

Getty Images

Luxemburgo mal chegou ao Flamengo e já ganhou dois reforços. Eduardo da Silva, o atacante braso-croata vindo do Shakhtar, e Hector Canteros, meia argentino ex-Vélez, tiveram seus contratos registrados no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF e estão aptos para enfrentar o Botafogo pela 12ª rodada do Brasileirão, jogo que acontece no domingo.

Os dois jogadores devem ser peças importantes para o treinador tentar recuperar o rubro-negro carioca, atualmente o lanterna da competição.

Canteros é um terceiro homem de meio-campo, com poder de marcação e apoio ao ataque. Não era unanimidade na Argentina, onde foi tachado de jogador “peladeiro”, mas segundo a imprensa de lá, tem qualidade suficiente para se firmar no Flamengo.

Ocupará uma posição crítica no time e se não sentir a pressão, irá ajudar bastante, já que o setor ofensivo está desfalcado de Paulinho, Éverton e Hernane e a ligação do meio-campo é carente desde a saída de Elias.

Já Eduardo da Silva, com 31 anos, não é mais o mesmo atacante eficiente que chegou ao Arsenal. Não se firmou entre os titulares da legião brasileira na Ucrânia mas chegou a atuar algumas vezes, assim como na Copa do Mundo pela seleção da Croácia. É um atacante menos fixo do que as Alecsandro e Hernane e pode até fazer as vezes de um segundo atacante, flutuando fora da área.

Luxemburgo ainda não sinalizou se ambos começaram como titular, mas Canteros sai na frente por estar treinando com a equipe há algumas semanas. Eduardo pode ser opção no banco.

Os dois encorpam o elenco rubro-negro e dão qualidade, ao menos no papel, a um time sem auto-estima e muito mal tecnicamente. Podem ser o sopro de renovação e sangue novo que o Flamengo certamente precisa.

Crédito da foto: Getty Images



Carioca, bacharel em Direito e bacharelando em Jornalismo pela FACHA. Não escolheu o jornalismo mas foi escolhido por ele. Sonho profissional: casar com a editoria de esporte e ser amante das páginas de política. Resumidamente, um cronista do cotidiano, comentarista do dia-a-dia e palpiteiro da rotina.