Barcos “à Quintana” ressurge, mas Grêmio perde para o Coritiba

Getty Images

“Esquece todos os gols que fizeste. Que cada gol seja o número um”. A frase, adaptada do célebre poeta Mário Quintana, condiz com Barcos e Zé Eduardo no confronto entre Grêmio e Coritiba, no último domingo, que terminou com a vitória do Coxa por 3 a 2, fora de casa, pelo Campeonato Brasileiro.

Pressionado, Barcos voltou a sorrir. O argentino fez as pazes com as redes e foi à torcida comemorar. O peso do período sem marcar se foi assim como as gotas de suor. Foram dois gols (por sinal, belos) do camisa 9 tricolor. Contudo, o valente Coritiba mostrou alma semelhante de superação e, com dois tentos de Zé Eduardo (ele mesmo) e um de Alex, levou três pontos para Curitiba.

Com o resultado, o Imortal estaciona na 10º colocação com 19 pontos. Já o Alviverde respira um pouco mais aliviado, mas segue na zona de rebaixamento com 10 pontos.

O JOGO

De cada lado, os dois jogadores incumbidos de marcar estavam pressionados. A bola que Barcos e Zé Eduardo dominavam tinha um peso maior. No primeiro tempo, o Grêmio esboçou uma pressão inicial, mas com pouco perigo.

Aos poucos, o Coritiba aproximou as linhas e passou a dominar o meio-campo. O resultado disso: duas bolas na trave que fizeram o suspiro dos torcedores presentes no estádio e das milhões de almas fanáticas do lado de fora. Enquanto isso, um Grêmio pouco incisivo e muito passivo.

Na etapa final, Enderson Moreira ousou. Sacou Saimon e Ramiro para colocar Matías e Rodriguinho. Com isso, Pará foi deslocado à lateral-esquerda. No início do derradeiro tempo, Zé Eduardo recebeu belo passe, driblou Marcelo Grohe e balançou as redes. “Sai zica”, pensou.

Atrás do placar, o Grêmio se lançou ao ataque. Barcos recebeu dois passes, tentou enfeitar demais e ouviu a sonora vaia da torcida. Mas por pouco tempo. O estreante Fernandinho fez boa jogada individual e rolou para o argentino dominar e estufar a rede.

“Esquece todos os gols que fizeste. Que cada gol seja o número um”. O argentino não ligou para as vaias e foi à torcida comemorar. Minutos depois, Barcos recebeu belo passe e, com tranquilidade, foi ao gol. Seria esse o surgimento de uma nova era pelo Tricolor? O artilheiro do time do ano precisava começar do zero.

Mas, na mesma toada, do outro lado, estavam Alex e Zé Eduardo. E com um gol cada, o Coritiba saiu vitorioso. O jogo foi parelho, de bastante correria e reclamações por ambos, mas o Coxa soube usar a superação para vencer.

No próximo sábado, o Grêmio visita o Vitória, enquanto o Coritiba, no domingo, receberá o Corinthians. Pelo lado Tricolor, resta a esperança de que Barcos “esqueça” a má fase e volte a marcar com frequência. O Coxa, que “esqueça” a degola no Brasileirão.

Crédito da foto: Getty Images



Aficionado por futebol, escreve sobre o Grêmio "para o que der e vier". Não tece comentários bebendo vinho, mas sempre coloca o Mundial no caminho. Trarei a visão não-regionalizada do Imortal. Curta, compartilhe e comente.