Atleta do tiro diz ter sido tratada como criminosa por estar com arma

A britânica Rachel Carrie, atleta do tiro esportivo nos Jogos da Commonwealth, conhecidos antigamente como Jogos da Comunidade Britânica, disse que foi tratada “como uma criminosa” pela polícia por portar a arma que usa nas competições.

A atleta de 30 anos afirmou ao site do jornal inglês Daily Mail que estava chegando ao hotel em que está hospedada durante o evento quando foi parada por funcionários que logo chamaram a polícia. Rachel disse que foi interrogada durante horas, mesmo explicando que era participante dos Jogos e que teria usa licença para usar a arma em competição esportiva.

LEIA MAIS
Conheça as atletas mais gatas dos Jogos de Commonwealth
Emocionante! Maratonista termina prova mesmo passando mal
Jogo de tênis de mesa tem rally mais emocionante que você já viu; assista

“Eu cheguei ao hotel por volta de 23h. Primeiro eles me perguntaram se eu tinha trazido um rifle ao local. Eu respondi que não, isso é uma espingarda de competição, e tentei explicar minha participação nos Jogos da Commonwealth. Mas eles disseram que isso era ilegal, que não poderia ter uma arma no hotel”, relatou Rachel.

A britânica disse ter ficado constrangida com a situação. “Eles chamaram a polícia e eu fui interrogada até as 2h30. Eu fiquei realmente envergonhada”, disse a atleta.

Rachel afirmou que essa situação foi inédita em sua carreira. “Eu levo minha arma ao redor do mundo, estive nos Estados Unidos e na maioria dos países da Europa, e isso nunca aconteceu antes”, lamentou.

Ao Daily Mail, o gerente do hotel afirmou apenas que o local não permite armas de fogos em seus quartos.

Foto: Reprodução/Daily Mail



Editor do Torcedores.com, está no site desde julho de 2014. Formado pela Universidade Metodista de São Paulo, já passou por UOL, Editora Abril e Rede Record. Participou da cobertura da Copa do Mundo de 2014, de dois Pans, dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e do Rio 2016. Também colabora com o ONDDA, site "irmão" do Torcedores.com.