Após receber Bom Senso, Dilma conversa com dirigentes

Getty Images

Nesta semana, a presidente se encontrou com os atletas do Bom Senso Futebol Clube, que pedem diversas mudanças em um texto do Deputado Otávio Leite (PSDB-RJ), que tramita no Congresso Nacional. Entre elas a proposição de que a Certidão Negativa de Débitos (CND) dos clubes seja apresentada uma vez ao ano – o movimento pede que a prestação de contas seja trimestral. A CND, como o próprio nome diz, é o documento que comprova a assiduidade das instituições em suas contas – nega que haja débitos em aberto – através da medida proposta, os atletas esperam acabar com os problemas de atraso nos salários.

Outra mudança pedida por eles em relação ao texto, é em sobre a punição prevista aos clubes que não apresentarem a CND. Ao invés do rebaixamento imediato, eles sugerem que o clube seja avisado e só após 2 anos, caso a situação não seja regularizada, é que se puna a instituição inadimplente.

Sugerem também alterações no calendário e horário dos jogos – vai gerar guerra com a TV. A entidade aponta que dos 684 times profissionais do país, 583 ficam inativos por pelo menos seis meses. Enquanto os clubes grandes chegam a fazer 85 partidas no ano, alguns clubes menores têm no máximo 15.

O governo, através do secretário do Futebol, Toninho Nascimento, pretende encomendar na Fundação Getúlio Vargas, um estudo visando o fortalecimento dos clubes frente aos empresários, a partir dos exemplos de outros países, como Inglaterra e França.

Opinião

Ao que tudo indica os 7 a 1 aplicados – sapecados mesmo – pela Alemanha à Seleção Brasileira, vão repercutir por muitos anos, porém alcançaram um status que nenhuma derrota da equipe canarinho jamais alcançou. O resultado desastroso pode gerar uma intervenção política sobre a fiscalização e o profissionalismo dos clubes e federações do Brasil.

Vem guerra por aí! Desde o ano passado, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) vem se mostrando bem insatisfeita com o Movimento Bom Senso Futebol Clube, que pede melhorias nas condições para aqueles que trabalham no futebol profissional e esta semana utilizou a internet para pedir democracia na CBF.

A TV vai ficar em uma sinuca de bico, caso mudanças no horário dos jogos sejam feitas, o maior canal de TV do país poderia ter prejuízos enormes. Para se ter ideia, um jogo às 20h afetaria duas novelas e o maior jornal da rede, o que poderia causar enormes prejuízos com anunciantes.

O desfecho desta história promete.