Ainda deficiente, São Paulo reencontra vitória diante do Bragantino

São Paulo

Caros torcedores do São Paulo, campeões invictos da Sul-Americana 2012. Reencontramos a vitória! Não importa que o Bragantino é o vice-lanterna da Série B. Não importa que era, na teoria, campo neutro. Não importa que do outro lado estava Léo Jaime( não o ator/cantor), integrante da lista de carrascos tricolor. Não importa que o Bragantino quase empatou. Vencemos!!!

Mas cá entre nós, o tormento continua. Pra começar, foi um gol contra, depois um gol do Pato (sim) e, principalmente, porque MAIS UMA VEZ passamos um aperto na defesa. Ver Paulo Miranda na zaga, ressurgindo do inferno de tempos em tempos, resume a cara do torcedor ao ver esse jogo.

LEIA MAIS
São Paulo vence o Bragantino, mas ainda com erros na defesa

Muricy desenterrou o time com 3 zagueiros, mas com o detalhe de que Paulo Miranda tornava-se um lateral quando o time possuía a bola, fazendo com que o Douglas jogasse alguma coisa como um ponta ou sabe-se lá Deus o que. Até trouxe um certo volume do jogo, mas estamos falando de Douglas e Paulo Miranda, logo, aquele setor marcou mal e apoiou mal.

Mesmo com este volume, o SPFC não chutou muito ao gol, especialmente diante de um time horrendo como é o Bragantino. Já o Massa Bruta, me surpreendeu ao tocar a bola saindo da defesa. O gol do Tricolor saiu depois de uma jogada bizarra do lateral do Braga, que testou firme contra a própria meta.

Já no segundo tempo, o Bragantino se lançou ao ataque e nossa defesa, mais uma vez, deu sustos, espaços, raiva e tudo de negativo. Aquele velho clichê de torcedor de time de futebol “se fosse um time melhor…” se enquadra para a equipe de Bragança Paulista. E o “se fosse contra um Cruzeiro…” é próprio para o SPFC. Como não é o caso, o Tricolor, aos poucos, controlou o jogo, sem deixar de levar uns ataques perigosos do Braga.

Nesse panorama de jogo, surgiu o pênalti bem marcado que resultou no 2×0, convertido pelo Alexandre Pato, que pediu para bater.

Quando o jogo parecia terminar no 2×0, a zaga falhou bisonhamente. Uma bola nas costas do Álvaro Pereira inadmissível para um esquema com três zagueiros. Isso sem contar o atacante sem marcação no meio da área. Não é possível que entra zagueiro, muda esquema e esses erros continuem no time.

Muriçoca ganha muito e tem muito tempo pra treinar o time que for. Chega de o Tata e o Milton Cruz distribuírem os coletes no treino e ele fica gritando VAI, VAI , VAI, PEGA, PEGA, PEGA, MARCA, MARCA… após 40 minutos de berros…RACHÃO!!! Não é possível insistir com Douglas, Maicon, Lucão, ressurgir Paulo Miranda. Dê chance para o Arno na lateral, pro Boschilia. Todos os times dão chance para alguém da base e tem resultados. Só o Sâo Paulo que não.

NOTA DOS JOGADORES:

ROGÉRIO CENI – Pouco trabalho. NOTA 7

DOUGLAS – Menos marcação, mais ataque, passes e cruzamentos errados de sempre. NOTA 3

PAULO MIRANDA – Pior zagueiro do elenco. Eu não consigo ver utilidade neste cidadão. NOTA 3

RODRIGO CAIO – Defendeu e atacou durante o jogo. Com o time no ataque, surgia como elemento surpresa. Se continuar assim e não deixar buracos, pode ser ótima opção. NOTA 7

RAFAEL TOLÓI – Zagueiro lento, mas é um Maldini perto do que temos. NOTA 5

ALVARO PEREIRA – O de sempre: muita raça, cartão amarelo, cruzamentos errados. Falhou no gol do Braga. NOTA 5

MAICON – Eu nem sei o motivo de escrever sobre futebol, pois eu não entendo nada. Quem entende é aquele que acha que o Maicon é titular. Sério, alguém me explica qual a função do Maicon em campo. Ele não marca, só acerta passe pra trás, e quando vai ao ataque ele ainda atrapalha. NOTA 3

SOUZA – Esse eu tenho dó. Joga por ele e pelo Maicon e ainda joga bem. NOTA 7

PH GANSO – Muita movimentação e boas jogadas ofensivas. Por que não joga assim sempre? Mas jogue assim contra time bons também. NOTA 8

ADEMILSON – Cem jogos, sem qualidade, sem habilidade, sem raça. SEM NOTA

ALEXANDRE PATO – Ao fim da partida, na entrevista ainda no campo, ele disse que pediu para bater o pênalti porque o Rogério Ceni passou perto dele. SÓ POR ISSO. E não foi comemorar com nosso goleiro porque ele estava longe demais. Isso resume o que é Alexandre Pato. NOTA 5

MURICY RAMALHO – Que não me venha reclamar de jogar quarta e domingo, se nem alteração ele faz mais. NOTA 6

Parabéns ao Bragantino. Sai da sua casa e leva o jogo pra um estádio longe e maior, só pra encher de gente e ganhar dinheiro. No fim, público de 11 mil pessoas e ainda perde a única vantagem que teria enfrentando o São Paulo, que estaria louco para perder em Bragança. Boaaa!!!

É isso ae galera. Sempre acompanhando nosso tricolor. Vamo São Paulo!!!!

Foto: Vipcomm



Este jornalista é são paulino doente até quando o Douglas cruza, Maicon puxa contra ataque e o Luís Fabiano separa briga. Depois de ver a primeira partida da vida no estádio "sacrossanto" - e teve gol do Valdir Bigode - chegou a conclusão que viveria em profunda depressão com esse time que escolheu amar. Um corneteiro em busca da cornetada perfeita.