Top 10: Craques que nunca disputaram a Copa do Mundo

Injustiçados por treinadores, vítimas de lesões ou, simplesmente, azarados por terem nascido no “país errado”. Não foram poucos os craques que nunca chegaram a disputar uma Copa do Mundo. Conheça alguns casos:

1) Ryan Giggs (País de Gales)

 

O veterano meia do Manchester United nasceu no País de Gales, que não disputa o Mundial desde 1958. O prêmio de “consolação” do camisa 11 foi defender a equipe da Grã-Bretanha nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012.

2) Gareth Bale (País de Gales)

 

Compatriota de Giggs, o meia-atacante do Real Madrid é um dos maiores jogadores da atualidade e  não estará na Copa do Mundo de 2014.

3)  George Best (Irlanda do Norte)

Seria presença certa caso todo o Reino Unido disputasse Copas do Mundo com uma única seleção. Como não é o caso, o atacante norte-irlandês, um dos maiores ídolos da história do Manchester United, nunca desfilou seu talento em uma Copa.

4) George Weah (Libéria)

 

Weah foi o melhor jogador do mundo em 1995 e um dos grandes atacantes do Milan nos anos 90. Mas, nascido na pequena Libéria, na África, nunca conseguiu chegar a um Mundial.

5) Alex (Brasil)

 

Meia habilidoso, comeu a bola com as camisas de Palmeiras, Cruzeiro e Fenerbahçe ao longo dos anos 2000. Mesmo assim, ficou de fora dos Mundiais de 2002 e 2006. É considerado um dos grandes injustiçados do futebol brasileiro em Copas.

6) Alfredo Di Stéfano (Argentina/Colômbia/Espanha)

Ao lado de Maradona e Messi, Alfredo Di Stéfano é o maior jogador da história da Argentina. Mas nunca defendeu sua terra natal em Copas. Jogou pela Colômbia em amistosos. Naturalizado espanhol, esteve no Mundial de 1962, mas, machucado, sequer entrou em campo.

7) Eric Cantona (França)

 

O polêmico atacante seria um dos grandes jogadores da Copa de 1994. Mas a França não conseguiu a classificação e Cantona, que fez história no Manchester United, não foi aos Estados Unidos. Seria o capitão da equipe que disputaria o Mundial de 1998, mas uma agressão a um torcedor do Crystal Palace o suspendeu dos gramados por nove meses. Depois disso, perdeu espaço na equipe para Zidane e decidiu encerrar a carreira em 1997, com 30 anos.

8) Arthur Friedenreich (Brasil)

Na lenda urbana, o atacante chegou a ter mais gols do que Pelé. Mas fato mesmo foi que “El Tigre” ficou de fora da Copa do Mundo de 1930 por causa de um racha na Seleção Brasileira entre atletas do Rio e de São Paulo. Esse motivo fez com que apenas jogadores de clubes fluminenses representassem o Brasil no Mundial do Uruguai.

9) Evaristo (Brasil)

Um dos grandes atacantes brasileiros dos anos 50, Evaristo de Macedo deixou o Flamengo rumo ao Barcelona em 1957. Seria nome certo para a Copa do Mundo de 1958, mas, na época, não era costume convocar atletas que atuassem no exterior. Há, também, a versão de que ele não teria sido liberado pelo clube espanhol. Seja como for, Evaristo, que mais tarde seria conhecido como Evaristo de Macedo, o técnico, ficou de fora do Mundial da Suécia.

10) Valentino Mazzola (Itália)

Meia-atacante de muito talento, Valentino Mazzola era o cara da seleção da Itália que disputaria a Copa do Mundo de 1950, no Brasil. Ele – e todo o time do Torino – morreu um ano antes do Mundial, após o avião em que a delegação estava se chocar com uma igreja, após o retorno de um amistoso contra o Benfica.



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.