Opinião: O que vale mais ganhar um título ou dar espetáculo?

O que vale mais, títulos ou espetáculo?

Como analisamos um jogador, ou um time? Pelo espetáculo, pela revolução, gols, pela emoção e paixão que gera, ou pelo resultado final. Quando uma equipe chega a um título, quando ganha um campeonato é porque o trabalho realizado foi bem feito. E muitas vezes quando se perde, não é porque o trabalho foi mal feito, mas porque a outra equipe a superou. Só uma ganha, mas muitas trabalham bem.

Quando lembramos algumas equipes que fizeram história mesmo perdendo, rapidamente lembramos de três seleções, Hungria de 54, Holanda de 74 e Brasil de 82 e times como o do Palmeiras de 96 que mesmo sendo espetacular, acabou ganhando só um campeonato paulista. A seleção de 82 é lembrada até hoje no mundo todo como uma das melhores, que deu espetáculo e perdeu. Cerezo, Falcão, Sócrates e Zico estão na história do futebol mundial.

No caso da seleção de 94, ganhou o Tetra e é até hoje ‘criticada’, injustamente na minha opinião. Aquele time precisava tirar o Brasil da fila, de qualquer jeito, era 24 anos de amarguras com gerações incríveis, e eles conseguiram, com muito suor.

É claro que o ideal é ter os dois, dar espetáculo, ser eficiente, e claro ganhar títulos. O que emociona na verdade é o espetáculo, o presente, o ato, a ação do jogador que resulta no Ohhhh da torcida. Mas os títulos e festas ficam para história.

Equipes como a seleção do Brasil de 58 e 70, que conseguiram dar show na época, com craques e ainda conseguiram ser campeões mundiais são citados como melhores de todos os tempos. O Barcelona do Pep Guardiola será lembrado para sempre como uma equipe que deu show e ainda ganhou tudo.

Entre os jogadores escolhi dois exemplos diferentes e ao mesmo tempo parecidos. Ambos ganharam tudo tanto nos clubes como na seleção de seus respectivos países.

Ronaldinho Gaúcho por exemplo, conseguiu dar espetáculo e ganhar títulos, por isso tem seu nome marcado na história e até hoje é reconhecido tanto na capital da Catalunha como no mundo todo , como um jogador genial. Conseguiu emocionar os catalães, atrais os turistas pro Camp Nou, aumentar o número de sócios do clube, fazer gols de placa, arrancar aplausos do Bernabeu, e claro ganhar muitos títulos. Títulos que mudaram não só a história do clube catalão, mas também o rumo.

Outro jogador clássico que conseguiu unir técnica com resultados, é o francês Zinedine Zidane, o Maestro. Zizou entrou para história da França com classe. Com dois shows de futebol, eliminou o Brasil em duas Copas, fez gol de placa em final da Champions e mesmo aposentado a quase 10 anos ainda joga muito.

No final das contas, o que realmente vale é a emoção que o futebol gera nas pessoas, seja pelo espetáculo ou por um título. A paixão que o mundo tem pelo futebol é antiga e ainda espontânea, em muitos lugares ainda amadora.

Acredito que sempre temos que tentar dar espetáculo, mas o que realmente fica são os títulos.



Sou amante e estudioso de esportes! Nasci em São Paulo, estudei em Los Angeles, NY e fiz pós-graduação em Barcelona, sempre acompanhando de perto as competições esportivas pelo mundo.