Susie Wolff merece uma chance na Fórmula 1

“É hora de me aposentar”, disse Sebastian Vettel, atual tetracampeão da Fórmula 1 a bordo da Red Bull, após o segundo dia de testes colectivos realizado nesta quarta-feira (14), em Barcelona. A fala do alemão veio após ele ser questionado sobre o fato de ter ficado atrás da escocesa Susie Wolff, piloto de testes da Williams.  No teste, a britânica foi a 5ª mais rápida, com 1min27s280. Já Vettel fez o circuito espanhol em 1min27s973 e fechou o dia em 6º.

É lógico que os testes não servem como parâmetro para o restante da temporada, tanto é que as imbatíveis Mercedes foram superadas por Max Chilton (da fraca Marussia) e Pastor Maldonado (da Lotus) nos dois primeiros dias. Atividades como essa servem mais para ajustar carros e corrigir erros. Diferentemente de Susie – que está lá exatamente para isso, para testar – Vettel deve ter “brincado” na pista. Não dá para levar a ferro e fogo. Mas o desempenho da escocesa de 31 anos não deve ser ignorado.

Para se ter uma ideia, vamos comparar os tempos dentro da Williams. Na terça-feira (13), no primeiro dia de testes, Massa fez o tempo de 1min27seg756. Assim como Vettel, foi mais lento do que a britânica.

Não é de hoje que ela chama a atenção. No ano passado, Felipe Massa, que ainda estava na Ferrari, já a havia elogiado e dito que ela tem condições de ser titular: “Ela é pilota muito bem. É veloz. Acho que seria fantástico ver uma mulher guiando um Fórmula 1”, disse o brasileiro, que neste ano guia um dos carros da Williams. A falta de Vettel, mesmo com o tom jocoso (e até, de certa forma, machista), reforça a habilidade de Susie.

“Depois de mais um dia de testes, não vejo motivos para não dizer que seria capaz de bater os rapazes. Claro que eles são todos muito bons e é legal poder me comparar com os melhores pilotos do mundo. Sei que preciso me focar e tentar melhorar, mas pelos rumos que o esporte está tomando acho que em breve teremos uma mulher no grid , disse Susie.

Seria bacana ver uma mulher a bordo de um Fórmula 1 nas provas oficiais. A última vez que isso aconteceu foi em 1992, quando a italiana Giovanna Amati tentou classificar sua Brabham para o Grande Prêmio do Brasil. Ela foi substituída por Damon Hill, que mais tarde seria campeão (em 1996, também pela Williams).

Aos poucos, elas estão chegando. Além de Susie, a suíça Simona de Silvestro é a piloto de testes da Sauber. Ela já guiou pela Fórmula Indy, onde outras mulheres já se aventuraram, como a brasileira Bia Figueiredo e a americana Danica Patrick.



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.