San Lorenzo prova que dinheiro não é tudo no futebol

Getty Images

A eliminação do Cruzeiro para o San Lorenzo foi impactante sob vários aspectos: além do fim da hegemonia na América do Sul, a eliminação do time mineiro pôs fim a escrita de 23 anos com clubes brasileiros na semi-final da Taça Libertadores e, principalmente, nos fez lembrar que o dinheiro não é tudo no futebol.

Atlético de Madrid e Borussia Dortmund têm duelado nos últimos contra os gigantes da Europa. O primeiro pode faturar o Campeonato Espanhol e a Champions League nesta temporada, enquanto o segundo conseguiu o bicampeonato alemão e o vice-campeonato na Champions nas últimas quatro temporadas. Esse efeito parece ter chegado a América do Sul, pois o San Lorenzo, com um gol de Piatti, eliminou o milionário Cruzeiro de Dedé da Libertadores.

Ignácio Piatti recebe o equivalente a 20% do que Dedé ganha com a camisa celeste. Com um salário estimado em 80 mil reais, o meia argentino é o jogador mais caro na folha salarial do time do Papa e foi dos seus pés que saiu o gol da classificação. O empate de 1 a 1 contra o atual campeão brasileiro fez com que o San Lorenzo chegasse a semi-final.

O Cruzeiro montou um elenco milionário no ano passado, quando conquistou o Campeonato Brasileiro, e o reforçou em 2014 para a disputada da Libertadores. O desejo de manter a hegemonia nacional e estendê-la para o restante do continente foi tão grande que o time topou pagar 100 mil reais por mês a promessa vascaína Marlone, mesmo sabendo que o jogador ficaria no banco de reservas.

A sofrível classificação durante a 1ª fase já deu o tom de que o caminho seria repleto de pedras. A classificação sobre o Cerro Porteno, nas oitavas, porém, deu esperanças a torcida celeste, mas o time sucumbiu diante do San Lorenzo e foi eliminado.

A derrota do Cruzeiro é um aviso aos dirigentes brasileiros de que dinheiro não é tudo no futebol. Isso vale para a montagem do elenco e também para o estabelecimento do preço dos ingressos. O futebol possui uma economia moral própria e esta não se faz apenas com a acumulação de renda, é preciso ter criatividade, pois nem sempre o jogador mais caro é o que trás os melhores resultados.