Saiba como era o clima na seleção brasileira antes da Copa de 94

Divulgação

Se o clima para a Copa do Mundo deste ano na Seleção Brasileira é de favortismo, há 20 anos a situação era totalmente invertida. Antes do Brasil chegar ao tetracampeonato da Copa do Mundo de 1994, muita coisa aconteceu e nem o torcedor mais otimista poderia esperar que o desfecho fosse a vitória nos pénaltis sobre a Itália. Foi difícil para a equipe de Carlos Alberto Parreira (foto) tirar o passaporte para os Estados Unidos.

DESTAQUES
Por que Cafu é o maior vencedor da era moderna
Agora é Copa: veja quem deve se cuidar para tentar o hexa
Top 10: Relembre as melhores comemorações em Copas do Mundo

Somente os anfitriões e a Alemanha, campeã em 1990, já tinham vaga assegurada no primeiro Mundial em solo norte-americano. O Brasil não convencia nas eliminatórias e só cravou a participação na Copa na última rodada, em setembro de 1993, após uma vitória história por 2 a 0, sobre o Uruguai, no Maracanã, com dois gols de Romário.

Antes disso, o país passou perrengue. Em julho, pela primeira vez na história, o Brasil perdeu um jogo de eliminatórias de Copa do Mundo – 31 jogos de invencibilidade, com 24 vitórias e sete empates. O revés aconteceu diante da Bolívia liderada pelo ex-meia Marco Etcheverry, na altitude de La Paz, por 2 a 0. Carlos Alberto Parreira não foi demitido por pouco.

Com a derrota para os bolivianos, a Seleção tinha apenas um ponto em dois jogos – empatara por 0 a 0 com o Equador, na estreia. Depois disso, a equipe se recuperou e foi vencendo os jogos, até assegurar a vaga diante dos uruguaios, na última rodada.

Para piorar, Parreira teve problemas com jogadores. Os zagueiros Mozer e Ricardo Gomes foram cortados por lesão, sendo que o segundo virou baixa às vésperas do torneio. Aldair e Ronaldão foram os substitutos. Já em plena Copa, Ricardo Rocha, titular da defesa, se machucou e deu vaga a Márcio Santos. Raí, capitão do time, não correspondeu em campo e perdeu a vaga de titular para Mazinho. Dunga assumiu a braçadeira e fez história ao erguer a taça.

Para 2014, Scolari não deve ter grandes problemas. Até agora, nenhuma lesão forçou o comandante a mexer no planejamento. O capitão, Thiago Silva, conta com a lealdade do grupo. Ao menos fora de campo, as condições para o hexa são muito melhores do que foram as do tetra.

Veja a lista de convocados para 2014:

 

Foto: Rafael Ribeiro/CBF



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.