Opinião: Rebaixamento em massa no Sul é iminente

A eliminação do Grêmio e do Atlético-PR na Libertadores da América provou a fragilidade do futebol da região Sul do Brasil no cenário internacional. Nacionalmente, porém, a situação também não é muito diferente, já que os três times de Santa Catarina (Chapecoense, Criciúma e Figueirense) juntamente com o Coritiba ainda não venceram no Brasileirão. Desta forma, só sobra o Internacional, mas, apesar de ser o campeão gaúcho de 2014, o colorado não venceu as duas últimas partidas e, como nos últimos anos, promete muito e produz pouco.

Sem dúvidas, a situação do futebol catarinense é a mais desesperadora. Se antes do Campeonato Brasileiro começar, Santa Catarina estava em festa por ter, pela primeiras vez, três times na 1ª divisão, hoje, após duas rodadas, o apreensão toma conta ante ao risco real de as mesmas três equipes voltarem para a Serie B.

Em duas partidas, nenhuma das equipes conseguiu fazer um ponto sequer. O pior disso é que não é só o péssimo desempenho na tabela que incomoda, mas a postura dentro de campo também é algo desapontador. Tanto Chapecoense, quanto Criciúma e Figueirense demonstraram um futebol de baixíssima qualidade que os coloca como os principais candidatos ao rebaixamento.

Atlético-PR, Coritiba e Internacional, porém, ainda estão invictos no Brasileirão, mas não têm demonstrado um bom rendimento dentro das quatro linhas. O Furacão, por exemplo, jogou mal, mas venceu o Grêmio na estreia, assim como o Internacional diante do Vitória. No entanto, na segunda rodada, ambos tiveram um apagão fora de casa e, por muito pouco, não foram derrotados, respectivamente, para Vitória e Botafogo.

O Coritiba, por sua vez, vem jogando bem, mas ainda não fez gols. Nas partidas contra Chapecoense e Santos, o Coxa pecou demais nas finalizações e viu todo o esforço ser em vão. O time de Celso Roth mantém a tradição do treinador de iniciar bem os torneios, porém, se seguir essa filosofia logo entrará em uma derrocada como costumeiramente acontece aos times treinados por ele. Sem uma gordura para queimar e com uma pontaria torta, o Coritiba também tem que abrir olho.

Quem também precisa ficar esperto é o time do Grêmio. Uma eliminação traumática da Libertadores, vendo a vaga escapar em uma disputa de pênaltis dentro de casa, é capaz de jogar em crise qualquer equipe. Enderson Moreira, por exemplo, está sob pressão e as próximas partidas no Brasileirão serão determinantes para a sua sequência a frente do Imortal Tricolor. Em caso de novos resultados negativos, não só o técnico mas também a própria base do time poderão ter que encontrar novos ares.

Foto: Clube Atlético Paranaense – Página Oficial