Como o time de Julio Cesar pode revolucionar o Canadá

flamengo
Jefferson Bernardes/Vipcomm

O Canadá passou longe de se classificar à Copa do Mundo de futebol. Porém, o caso que vale destacar é o Toronto FC, que mandará dois jogadores para o Mundial que será disputado no Brasil. O meio-campista americano Michael Bradley, que defendia a Roma, foi comprado em janeiro por 10 milhões de dólares. Além dele, o goleiro Julio Cesar, titular da seleção brasileira, chegou ao time canadense em fevereiro.

O Canadá acabou eliminado na primeira fase das Eliminatórias da Concacaf ao ficar no terceiro lugar do grupo C, atrás de Panamá e Honduras. Porém, o país estará representado de alguma forma na competição. Primeiramente, pelo meio-campista Jonathan de Guzman, nascido no Canadá e naturalizado holandês.

Mas voltando ao Toronto FC, quem é esse time que apareceu na mídia mundial a partir de janeiro? Fundado em 2006, o Toronto passou a disputar a Major League Soccer em 2007. Porém, na liga norte-americana, a equipe ainda não fez uma campanha relevante, com a melhor participação tendo sido um 11º lugar em 2010. Dentro do país, o time é uma força, tendo sido tetracampeão consecutivamente entre 2009 e 2012 e tendo uma média de público de 20 mil pessoas por jogo.

Os planos para os próximos anos, entretanto, são audaciosos. Além da contratação de Bradley e Julio Cesar, a equipe trouxe Jermaine Defoe, atacante que ficou 11 temporadas no Tottenham e ainda fez 55 jogos pela seleção inglesa, tendo disputado a Copa do Mundo de 2010 e as Eurocopas de 2004 e 2008. Outros nomes conhecidos são: Luke Moore, atacante ex-Aston Villa, e Gilberto, que fez 14 gols no último Campeonato Brasileiro pela Portuguesa.

Com uma grande estrutura fora de campo (melhor que a de muitos clubes europeus), investimento alto e nomes conhecidos, o Toronto FC pode fazer com o Canadá o que times como o Los Angeles Galaxy fizeram com os EUA. Assim como a equipe que contratou Beckham não atuou sozinha, Montreal Impact e Vancouver Whitecaps são parceiros canadenses que hoje disputam a MLS.

Pouco a pouco, estes times podem trazer o conhecimento de um novo esporte, público para os estádios e, com isso, provocar o desenvolvimento da seleção nacional. Quem sabe não vemos o Canadá nas próximas edições da Copa do Mundo?

Crédito da foto: Jefferson Bernardes/Vipcomm