Presidente do Santos não perde o hábito de polemizar até no dia da renúncia

O presidente do Santos, Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, enfim entregou a sua carta de renúncia e, de forma melancólica, se despediu da gestão marcada por muitos títulos e muitas polêmicas. Mas nem no dia da sua saída, ele perdeu a chance de polemizar.

“O Damião é um profissional respeitável, mas nem de longe tem futebol para atuar nem entre os reservas do Santos. Ainda pelo preço envolvido, que deixou o time Santos situação muito complicada nesse segundo semestre. Com o dinheiro gasto, teríamos trazido Diego e Robinho, o que incendiaria a torcida e daria uma qualidade técnica que o Damião jamais sonhou em ter”, opinou para a rádio Jovem Pan.

Em cima disso, fica a pergunta: precisava dar uma declaração dessas? Não estou entrando nem no mérito de ele ter razão na sua opinião sobre Leandro Damião ou não. Luis Álvaro, você está se despedindo. Tem que cuidar da sua saúde. Não precisa dar declarações públicas que só tem a utilidade prática de agitar os bastidores do Santos e pressionar a diretoria que você mesmo ajudou a montar.

Não é a primeira vez, e pelo visto não será a última, que Luís Álvaro vem a público para tumultuar o ambiente do Santos. Ele foi consultado pela imprensa na época da venda de Neymar para o Barcelona, no ano passado. Laor polemizou tanto que irritou Neymar. O atacante chegou a desabafar nas redes sociais contra ele.

Admito que a opinião que Luis Álvaro deu sobre Damião se trata de uma meia verdade. Claro que o camisa 9 tem condições de estar entre os titulares do Santos. Mas concordo com Laor quando diz que o valor pago para trazê-lo poderia ser usado para repatriar Diego e Robinho, que trariam um retorno muito maior para o Peixe.

Crédito: Flickr do Santos/Divulgação



Jornalista de esportes desde 2005, com passagem pelo UOL e Terra. Editor de comunidades do Torcedores.com e blogueiro do renanprates.com