Opinião: episódio da privada é prenúncio de desgraça na Copa

privada

A morte do torcedor atingido por uma privada atirada de mais de 15 metros de altura após o jogo entre Santa Cruz e Sport, no estádio do Arruda, na noite da última sexta-feira, infelizmente é o prenúncio de uma desgraça ainda maior que está por vir.

A Copa do Mundo está aí, batendo às portas de todos os brasileiros, e, infelizmente, nada mudou na organização do nosso futebol. Bandidos disfarçados de torcedores continuam transitando livremente nos estádios, a falta de segurança e a certeza da impunidade ainda imperam, e o cenário tende a ficar cada vez pior.

Os iminentes conflitos entre os militantes do inútil movimento #NaovaiterCopa (que deveria ter sido criado quando o evento foi anunciado para o Brasil, e não agora) e os pachecos de plantão podem deixar um saldo triste para o nosso País.

Grande parte do povo brasileiro abraçou a Copa e quer ver o evento fazer sucesso, mas a minoria bandida e disfarçada de torcedores vai continuar agindo como se nada diferente estivesse acontecendo no país. E é aí que mora o perigo.

DESTAQUES
Veja por que Kleber Gladiador pode roubar o lugar de Barcos
Trocar de técnico não é solução para o Palmeiras

Levar uma criança ao estádio, mesmo em um jogo teoricamente de uma torcida só, como foi Santa Cruz x Paraná, ou como será Brasil x Croácia, Brasil x México, etc, é uma atitude temerosa e, por que não dizer, burra. Vai que alguém provoca um meliante e o mesmo resolve arrancar uma privada e jogar “só pra ver no que dá”? A criança pode ser atingida e se transformar na mais nova vítima dos estádios.

Não adianta apenas prender o culpado pelo episódio da privada em Pernambuco e oferecer recompensa por informações. É preciso educar o povo brasileiro e colocar todos esses marginais disfarçados, sem exceção, no presídio. Quem sabe assim, #vaiterCopa e, principalmente, #vaiterpaz no nosso país.

 



Redação do Torcedores.com