O que mudaria para Diego Costa no Chelsea?

O brasileiro naturalizado espanhol Diego Costa deve ser o próximo reforço do Chelsea para a próxima temporada. Na imprensa europeia, a transferência do atacante para o time inglês é dada como certa, só aguardando a decisão da Liga dos Campeões (o Atlético de Madrid, time do atacante, enfrenta o Real Madrid). Mas o que isso muda para o jogador?

Aos 25 anos, o sergipano de Lagarto está no auge da carreira. Tanto que se permitiu escolher defender a Seleção Espanhola em vez de a equipe brasileira. Atuando em um clube de maior projeção, como o Chelsea, terá ainda mais destaque.

Consequentemente, terá mais pressão. O time inglês sofre com a falta de um bom atacante desde a ida de Didier Drogba para o Galatasaray, em 2012.

DESTAQUE
Diego Costa é o atacante perfeito para o Chelsea

Hoje, os britânicos têm Fernando Torres, que não engrenou. Além do espanhol, há o camaronês Samuel Eto’o, veterano aos 33 anos, o alemão André Schürrle e o senegalês Demba Ba.

Nenhum deles, atualmente (é bom resaltar no caso de Eto’o), está jogando a bola de Diego Costa, que pode ser considerado, sem esforço, um dos melhores centroavante da Europa.

A cobrança em campo será ainda maior devido ao investimento. De acordo com o jornal inglês “The Sun”, os Blues pagarão 32 milhões milhões de libras (R$ 120 milhões) ao Atlético de Madrid. Jogadores como o atacante Fernando Torres, que começou a carreira no time de Madri, e o goleiro Courtois, emprestado pelo Chelsea ao próprio Atlético, podem ser incluídos no pacote.

O periódico italiano “La Gazzetta dello Sport” traz outro dado astronômico: o salário de Diego será de 150 mil libras semanais, o que dá R$ 500 mil, mais ou menos. Ou seja: R$ 2 milhões por mês. Nada mal.

O Chelsea, e principalmente o atacante, se conseguir se adaptar à maneira de jogo da Inglaterra e, principalmente, corresponder, só têm a ganhar.

Foto: Site oficial do Atlético de Madrid



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.