O adeus de Javier Zanetti

Há jogadores que parecem que nunca dirão adeus aos gramados e, quando fazem isso, nos damos conta de que o tempo está realmente passando. Apesar de parecer que foi ontem que Javier Zanetti fez sua estreia com a camisa da Internazionale contra o Vicenza, na verdade, já faz quase 19 anos.

Zanetti nasceu na Argentina, mas fez sua carreira na Itália, onde conquistou 16 títulos em 19 temporadas a serviço da Nerazurri. Na sua terra natal, o II Capitano atuou pelo Tallares (33 jogos) e pelo Banfield (66 jogos) em exatas 99 partidas, marcando 5 gols. O bom desempenho lhe rendeu propostas de Boca Juniors e River Plate, mas Zanetti queria mais e as recusou em 1994. No ano seguinte, o convite irrecusável da Inter de Milão chegou.

Sua estreia aconteceu no dia 27 de agosto de 1995 e o final de sua carreira em 10 de maio de 2014. De lá para cá foram 856 jogos e 21 gols marcados de um jogador que foi capaz de atuar como lateral-esquerdo, lateral-direito, volante e meia. Enfim, Zanetti é capaz de fazer tudo e, por isso, conquistou tudo o que disputou pela sua amada Inter de Milão. Na Argentina, porém, os grandes títulos estiveram ausentes. Zanetti é uma daquelas muitas lendas do futebol mundial que nunca conquistou uma Copa do Mundo.  

Foram duas oportunidades para isso, mas em 1998 a equipe caiu nas quarta-de-finais para a Holanda e, em 2002, não passou da 1º fase. Mas, mesmo assim, o reconhecimento pelos serviços prestados foi dado pela Federação de Futebol da Argentina durante um amistoso contra a Espanha. Em 07 de setembro de 2010, Zanetti foi homenageado e aplaudido diante de um Monumental de Nuñez lotado.  

E foi assim também que Javier Zanetti deu adeus ao futebol. No estádio Guiseppe Meazza, Zanetti entrou na segunda etapa para o delírio da torcida. Em campo, a lenda teve pouca participação efetiva na partida. Não fez gol e nem deu assistência, uma prova de que sua hora havia chegado.

A Inter venceu a Lazio por 4 a 1, mas isso pouco importa porque o futebol perdia um dos seus grandes nomes. Após o apito final da partida, o II Capitano voltou ao gramado para agradecer a torcida e a todos os que participaram de sua gloriosa carreira, mas quem agradecia naquele momento eram todos os que tiveram o privilégio de vê-lo jogar.

Zanetti é o tipo de jogador que dificilmente se vê. Não foi um grande craque, não era dos mais habilidosos, porém, ciente de toda a sua limitação, jamais fez disso uma barreira e com garra honrou por 19 anos a sagrada camisa da Inter de Milão