Michel Bourez e Sally Fitzgibbons vencem Billabong Rio Pro‏

O taitiano Michel Bourez, 28 anos, e a australiana Sally Fitzgibbons, 23, foram os campeões da etapa brasileira do Samsung Galaxy ASP World Championship Tour encerrada nesta segunda-feira no Rio de Janeiro. A vitória sobre o norte-americano Kolohe Andino, 20, no Billabong Rio Pro foi a segunda de Bourez na temporada 2014, com o taitiano subindo da oitava para a quarta posição no ranking que passou a ser liderado pelo onze vezes campeão mundial Kelly Slater, 42. Já no Billabong apresenta Rio Women´s Pro, Fitzgibbons festejou o seu segundo título na Barra da Tijuca, acabando com a série de vitórias de Carissa Moore, 21, mas a havaiana se manteve em primeiro lugar no ranking, agora com a australiana assumindo a vice-liderança no Brasil.

“O gosto da vitória é muito bom, é como beber champanhe (risos). É alucinante esta emoção e já estava feliz só por estar aqui, melhor ainda agora depois de fazer a final com um grande amigo que é o Kolohe (Andino), um garoto que certamente estará no topo nos próximos anos”, disse Michel Bourez, sobre seu companheiro de equipe. “O Rio de Janeiro é lindo, adoro este lugar com tanta gente apaixonada pelo nosso esporte, lotando a praia todos os dias. Foi uma semana incrível e para mim acabou de forma perfeita com esta vitória, pois enfrentei grandes adversários hoje (segunda-feira) e nenhuma bateria foi fácil, pois todos surfaram muito bem também. Agora só quero ir para casa e festejar com minha família”.

O taitiano garantiu a vitória no Billabong Rio Pro logo nas duas primeiras ondas que surfou na bateria final. Kolohe Andino só acertou o aéreo que ele usou para liquidar Kelly Slater nas semifinais em sua última onda, mas já era tarde e ele não conseguiu superar os 13,84 pontos das notas 7,17 e 6,67 de Michel Bourez. O taitiano repetiu a vitória conquistada em Margaret River na Austrália e tirou o quarto lugar que o ex-líder Gabriel Medina estava ocupando no ranking. Bourez faturou 100 mil dólares pela vitória no Rio de Janeiro, enquanto o vice-campeão Kolohe Andino ficou com 40 mil dólares e saltou do 21.o para o 12.o lugar na classificação geral das quatro etapas completadas no Brasil. A próxima é nas Ilhas Fiji nos dias 1 a 13 de junho.

asp2

O campeão teve que superar adversários muito difíceis para chegar em sua segunda final no Samsung Galaxy ASP World Championship Tour 2014. Ele começou o dia batendo o campeão mundial de 2012, Joel Parkinson, 33 anos. Depois, passou pelo defensor do título do Billabong Rio Pro, Jordy Smith, 26, da África do Sul, nas quartas de final e nas semifinais acabou impedindo que o australiano Taj Burrow, 35, assumisse a liderança do ranking ao deixa-lo em terceiro lugar na Barra da Tijuca. Se ele passasse para a final, ultrapassaria os 23.400 pontos de Kelly Slater.

Já o vice-campeão Kolohe Andino teve muito trabalho para vencer o seu primeiro duelo na segunda-feira. Ele cometeu uma interferência e como penalidade só computaria uma nota contra duas do sul-africano Travis Logie. E na última onda Andino conseguiu uma nota 6,83 para seguir em frente. Depois passou pelo australiano Bede Durbidge e de novo na última onda derrotou Kelly Slater nas semifinais por uma pequena diferença de 14,73 a 14,17 pontos.

O C. J. Hobgood me disse uma vez, quando você está perdendo muitas baterias em sequência parece ser tudo muito difícil, mas quando você está sempre vencendo parece ser muito fácil”, disse Kolohe Andino. “Tenho muitas boas lembranças do Brasil, já venci uma etapa do WQS aqui no Arpoador alguns anos atrás, quando me classifiquei para os top-34 da ASP, agora fazer minha primeira final no WCT aqui, na frente deste público todo me deixa muito feliz, porque o segundo lugar também é um bom resultado”.

“É um sentimento incrível este, pois estou caçando uma vitória há bastante tempo e a Carissa (Moore) começou bem com um 8,5, então eu sabia que precisava manter a paciência porque estava confiante no meu surfe. Além disso, vencer aqui no Rio de Janeiro de novo é muito especial”, disse Sally Fitzgibbons. “Trabalhei bastante para conseguir vencer de novo, principalmente depois de Bells Beach. Foquei em corrigir os erros cometidos nas três etapas da Austrália e esse título é definitivamente uma recompensa pelo trabalho duro antes de vir para o Brasil”.

slater

Assista ao vídeo no YouTube: http://youtu.be/FpOyUirGs00

Slater abriu a segunda-feira com a única nota 10 do Billabong Rio Pro em um tubo incrível que surfou na primeira onda do dia. Era mais um duelo contra o brasileiro Adriano de Souza, para quem tinha perdido nas seis vezes que se enfrentaram antes. Mineirinho não achou as ondas e só pegou a sua primeira no último minuto, quando a vitória do maior ídolo do esporte já estava consolidada.

“Eu já estava cansado de perder para ele (Adriano de Souza), foram seis vezes seguidas e fiquei pensando bastante nesta situação hoje (segunda-feira) quando cheguei aqui na praia”, disse Kelly Slater. “O mar é muito imprevisível aqui e foi louco ver aquela onda vindo para mim do nada. Nunca imaginei pegar um tubo como aquele hoje nesse mar, mas dropei e só rezei para ter um lugarzinho pra sair na boca do tubo. Acho que fui atendido, depois de tantas fechadeiras que peguei nessa semana”.

A derrota de Adriano marcou a saída do Brasil da disputa do título no Rio de Janeiro, mas Mineirinho se manteve em sexto lugar no ranking. Já Gabriel Medina, que foi barrado na terceira fase pelo sul-africano Travis Logie, caiu da primeira para a quinta posição. Além deles, também estão entre os 22 primeiros colocados, que são mantidos na elite dos top-34 para o ano que vem, os também paulistas Miguel Pupo em 14.o e Filipe Toledo em vigésimo lugar.

 asp2
DECISÃO FEMININA – Entre as meninas, a havaiana Carissa Moore chegou como favorita em sua terceira final consecutiva no Samsung Galaxy ASP Women´s Championship Tour 2014, mas a australiana Sally Fitzgibbons acabou com a série invicta da ainda líder do ranking no Billabong apresenta Rio Women´s Pro para festejar a sua primeira vitória na temporada. As duas já venceram a etapa brasileira quando ela retornou para o Rio de Janeiro, com a havaiana sendo campeã em 2011 e a australiana em 2012. Fitzgibbons também foi finalista no ano passado, quando perdeu a decisão do título para a também australiana Tyler Wright.
Esta derrota foi vingada por Sally na semifinal e na final ela já largou na frente, destruindo uma boa onda no Postinho com várias manobras para arrancar uma nota 9,27 dos juízes, a maior da bateria. Carissa Moore também começou bem com nota 8,5, mas logo Fitzgibbons surfou outra ótima onda que valeu nota 7,00 e não perdeu mais a liderança. A havaiana ainda tentou a virada algumas vezes, mas não conseguiu superar os 16,27 pontos de Sally Fitzgibbons, desta vez terminando como vice-campeã com 14,67 pontos depois de duas vitórias consecutivas.
Com o título no Billabong apresenta Rio Women´s Pro, Fitzgibbons subiu do quarto para o segundo lugar no ranking com os 10.000 pontos conquistados no Rio de Janeiro. A australiana ainda faturou o prêmio máximo de 60 mil dólares, enquanto a havaiana ficou com 25 mil dólares e 8.000 pontos, mantendo uma boa vantagem na liderança da corrida pelo título mundial com 34.500 pontos nas quatro etapas completadas no Brasil, contra 28.200 da nova vice-líder, Sally Fitzgibbons.
“Não posso dizer que não é bom ser ainda a primeira no ranking, mas chegar assim tão perto de uma vitória é um pouco frustrante não ganhar”, disse Carissa Moore. “Eu queria muito ter vencido de novo aqui no Rio de Janeiro, como três anos atrás. Claro que estou chateada por não ter conseguido, mas tudo bem, competição é assim mesmo”.
http://youtu.be/FpOyUirGs00
FINAL DO BILLABONG RIO PRO:
Campeão: Michel Bourez (TAH) por 13,84 pontos (7,17+6,67) – US$ 100.000 e 10.000 pontos
Vice-campeão: Kolohe Andino (EUA) com 10,93 (notas 5,93+5,00) – US$ 40.000 e 8.000 pontos
SEMIFINAIS – 3.o lugar com US$ 20.000 e 6.500 pontos:
1.a: Kolohe Andino (EUA) 14.73 x 14.17 Kelly Slater (EUA)
2.a: Michel Bourez (TAH) 15.30 x 12.33 Taj Burrow (AUS)
 asp6
FINAL DO BILLABONG apresenta RIO WOMEN´S PRO:
Campeã: Sally Fitzgibbons (AUS) por 16,27 pontos (9,27+7,00) – US$ 60.000 e 10.000 pontos
Vice-campeã: Carissa Moore (HAV) com 14,67 (notas 8,50+6,17) – US$ 25.000 e 8.000 pontos
SEMIFINAIS – 3.o lugar com US$ 15.000 e 6.500 pontos:
1.a: Carissa Moore (HAV) 17.97 x 6.00 Lakey Peterson (EUA)
2.a: Sally Fitzgibbons (AUS) 15.17 x 9.80 Tyler Wright (AUS)
(Fonte: ASP South America)


Sou amante e estudioso de esportes! Nasci em São Paulo, estudei em Los Angeles, NY e fiz pós-graduação em Barcelona, sempre acompanhando de perto as competições esportivas pelo mundo.