Léo engrossa casos de atletas que esqueceram a hora certa de parar

aposentadoria
Flickr do Santos/Divulgação

O lateral esquerdo Léo, ídolo do Santos, anunciou na semana passada que se aposentará dos gramados. Reclamou da diretoria do Peixe, que não quis renovar o seu contrato. Mas esqueceu de uma coisa: deveria ter se aposentado dois anos antes, após a derrota de forma vexatória contra o Barcelona no Mundial de clubes.

Léo engrossou casos de atletas que esqueceram a hora certa de parar. Melhor jogador da Copa do Mundo de 2002, Rivaldo pode ser incluído nesta relação. Considerado uma lenda do UFC, Rodrigo Minotauro também tenta esticar a carreira muito além do ideal.

Antes que seja xingado, explico melhor: por tudo que fizeram pelo esporte, estes atletas tem o direito de escolher quando devem se aposentar. Mas não dá para achar que ainda conseguem competir em alto nível.

Léo sofreu com inúmeras lesões e não conseguiu ter ritmo de jogo no final da sua passagem pelo Santos. Rivaldo chegou a ser reserva de um São Caetano que disputou a Série B do Brasileirão. Minotauro disse que escondeu uma grave lesão pouco antes da luta e perdeu de forma vergonhosa para Roy Nelson no UFC de Abu Dhabi.

Duas semanas atrás, no meu blog pessoal, questionei: um ídolo do esporte tem direito de passar vergonha? Por tudo que fizeram em cada área de atuação, peço a Léo, Rivaldo e Minotauro: apenas parem. Os dois primeiros já se aposentaram. Quando será que o terceiro fará o mesmo?

Crédito: Flickr/Santos FC/Divulgação



Jornalista de esportes desde 2005, com passagem pelo UOL e Terra. Editor de comunidades do Torcedores.com e blogueiro do renanprates.com