Futebol italiano amarga fracassos e anda em baixa na Europa

Getty Images

Entre o fim dos anos 80 e início dos anos 90, a Itália era o Eldorado futebolístico. Maradona, Careca, Klinsmann, Van Basten, Gullit… não eram poucos os craques que desfilavam talento no país da bota. Hoje, isso não é privilégio apenas dos italianos, que, aliás, perderam mercado para ingleses, espanhóis e alemães.

Em títulos, também, o futebol da Itália encolheu. Ao menos é o que os torneios europeus mostram.

Na temporada 2013/2014, o representante do país que chegou mais longe na Liga dos Campeões foi o Milan, eliminado pelo Atlético de Madrid nas oitavas de final.

Napoli e Juventus caíram na primeira fase e foram disputar a Liga Europa. Na segunda competição do continente, também decepcionaram: a Juve perdeu a semifinal para o Benfica e o Napoli dançou diante do Porto nas oitavas de final. Fiorentina e Udinese também ficaram pelo caminho.

E vale lembrar que a Inter de Milão nem participou de nenhum dos torneios. Como ficou no 9º lugar no Campeonato Italiano da temporada 2012/2013, não se classificou para nada.

Enquanto isso, dois espanhóis (Real Madrid e Atlético de Madrid) decidem a Liga dos Campeões. Um alemão (Bayern de Munique) e um inglês (Chelsea) saíram na semifinal. Na Liga Europa, o caneco será decidido entre um espanhol (Sevilla) e um português (Benfica).

Isso na atual temporada.

Nas anteriores, o domínio foi dividido entre espanhóis, ingleses e alemães. Os italianos apareceram vez ou outra, mas não com o mesmo barulho do início dos anos 90.

O último ano que algum time da Itália pôs a Europa abaixo foi 2010, quando a Inter de Milão conquistou a Liga dos Campeões e o Mundial de Clubes da Fifa. A dobradinha também aconteceu em 2007, com o Milan, que também levou a Liga dos Campeões em 2003.Entre 2003 e 2014, ingleses e espanhóis também foram campeões três vezes cada um, sendo que os ibéricos chegarão ao quarto caneco no período com o encerramento da edição desta ano.

Desde 2011, nenhum italiano sequer chega às finais. Barcelona (2011), Chelsea (2012) e Bayern de Munique (2013) foram os últimos vencedores.

De 2003 para trás, o domínio italiano foi maior. Entre 1990 e 2002, foram quatro Ligas vencidas pela Itália (1989, 1990 e 1994 com o Milan e 1996 com a Juventus). A Espanha também teve quatro conquistas (92 com o Barcelona, 98, 2000 e 2002 com o Real Madrid), mas os ingleses só comemoraram uma vez (em 99, com o Manchester United).

Fora os vice-campeonatos do país da bota em 1998 (Juventus), 1997 (Juventus), 1995 (Milan), 1993 (Milan) e 1992 (Sampdoria).

Na Liga Europa, a queda italiana é mais evidente. Nos anos 90, quano ainda era chamada de Copa da Uefa, a o país dominou o continente entre 1988 e 1995 (o único ano que um “estrangeiro” quebrou a hegemonia tricolor foi em 1992, com o Ajax). Napoli, Juventus e Inter se alternavam com a taça, sendo que, entre 1990 e 1992, as decisões foram entre italianos. Inter, em 1998, e Parma, em 1999, foram os últimos campeões do país no torneio.

A partir de 2009, o nome virou Liga Europa. Mas nada de a Itália vingar. Melhor para os espanhóis, que levaram os títulos em 2010 e 2012, com o Atlético de Madrid. Sevilla (2006, 2007) e Valencia (2004) também venceram a Copa da Uefa. Os ingleses também curtiram, com o Liverpool, em 2001, e o Chelsea, em 2013.



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.