Como o dinheiro transformou o Manchester City

Até 2009, para muita gente, a cidade inglesa de Manchester tinha apenas um time: o United, claro. Afinal, os Diabos Vermelhos eram um dos clubes mais conhecidos do mundo, com títulos como três Ligas dos Campeões da Europa, dois Mundiais de Clubes e 18 Campeonatos Ingleses até aquele momento. Fora dois dos jogadores mais midiáticos do mundo que jogaram com a camisa vermelha, David Beckham e Cristiano Ronaldo.

Enquanto isso, o lado azul de Manchester tinha um time simpático, com uma águia como mascote e até com alguns troféus na história, mas sem comparações com o primo rico. O City era conhecido como o time dos irmãos Liam e Noel Gallagher, membros da banda Oasis.

Até então, a equipe só havia conquistado uma Recopa Europeia (1969/1970), dois Campeonatos Ingleses (1936/1937 e 1967/1968), quatro Copas da Inglaterra (1903/1904, 1933/1934, 1955/1956 e 1968/1969), duas Copas da Liga Inglesa (1969/1970 e 1975/1976), três Supercopas da Inglaterra (1937, 1968 e 1972) e sete vezes a segunda divisão inglesa (1898/1899, 1902/1903, 1910/1911, 1927/1928, 1946/1947, 1965/1966 e 2001/2002).

De repente, a história começou em mudar. Em junho de 2007, Thaksin Shinawatra, ex-primeiro-ministro da Tailândia compra o City. E a primeira providência foi a contratação do sueco Sven-Göran Eriksson para treinar a equipe. Nessa época chegou também o brasileiro Elano, assim como o zagueiro Vincent Kompany, atual capitão. Mas o tailandês começou a ter problemas com a justiça britância e logo o clube foi vendido novamente. E aí as coisas melhoraram de vez.

Sairam o dinheiro tailandês e, em agosto de 2008, entraram os petrodinheiros do mundo árabe. O novo dono do Manchester City é o sheik Mansour bin Zayed Al Nahyan, dos Emirados Árabes. Ele é meio-irmão do presidente dos Emirados Árabes. Nada melhor para o City do que um rei do petróleo no comando.

E o investimento foi pesado. Robinho foi o primeiro a chegar ao estádio City of Manchester, comprado por 32,5 milhões de euros. Em seguida chegaria mais gente, como Yaya Touré, Tévez, Balotelli e o técnico Roberto Mancini. Kaká, sonho de consumo dos ingleses, preferiu o Real Madrid. Mais tarde, chegariam David Silva e Dzeko, que ainda hoje estão na equipe.

Aos poucos, os títulos foram aparecendo. Em 2010/2011, a equipe conquistou a Copa da Inglaterra. A última taça antes dessa fora a da segunda divisão do Campeonato Inglês, em 2001/2002.

Em 2011/2012, a equipe venceu o Campeonato Inglês e a Supercopa da Inglaterra. E, neste ano, levantou de novo o caneco do Inglês e arrematou a Copa da Liga Inglesa.

O clube ainda busca glórias continentais. Mas ainda não conseguiu engrenar boas campanhas na Liga dos Campeões. Mas, para um clube que saiu do ostracismo e hoje tem até uma filial nos EUA (New York City, que jogará na Liga Americana a partir de 2015) nada é impossível.

 

Foto: Getty Images



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.