Bayern de Munique vive crise de identidade com Guardiola

Bayern
Humilhado pelo Real Madrid nas semifinais da Liga dos Campeões diante de sua própria torcida, o Bayern de Munique enfrenta uma inesperada crise de identidade na temporada.

O técnico Josep Guardiola teve seu método de trabalho contestado pelos atletas após a vexatória derrota, principalmente pelos que não estão sendo aproveitados como titulares, mas garantiu que não mudará sua linha de trabalho.

Guardiola afirmou que não foi para Munique para mudar a filosofia do futebol alemão, mas que tem que aplicar suas próprias ideias sobre o jogo. Segundo o vitorioso treinador, “não dá para ensinar aos jogadores os conceitos de outros treinadores. Então, eles precisam se adaptar às minhas ideias.”

Manter-se fiel ao seu estilo de trabalho pode transformar radicalmente a vida de Guardiola. Se não abrir a cabeça para enxergar que tem em mãos um elenco diferente do que comandou no Barcelona, o técnico pode ter vida curta na Alemanha.

A continuidade de seu trabalho passa, diretamente, pela elaboração de um novo elenco. Segundo Guardiola, o planejamento está sendo feito de forma correta.

“Discutirei com o clube o plano de transferências para a próxima temporada, mas estou satisfeito com nosso elenco. Entendo que os jogadores querem jogar. Compreendo Thomar Müller, Javi Martínez e Götze. Todos querem jogar, mas tenho que decidir o que é melhor para o time. Cada jogador quer jogar seu próprio jogo, mas isso é simplesmente impossível. Tenho que convencê-los qual é a melhor forma”.

A crise está aí e agora o Bayern precisa descobrir qual o melhor caminho a seguir: reformular o poderoso elenco que tem em mãos e apostar em Guardiola, talvez um dos maiores responsáveis pela supremacia do Barcelona nos últimos anos, ou abrir mão do badalado treinador, e voltar ao que deu certo na última temporada.



Redação do Torcedores.com