Aprontões: veja jogadores que não merecem segundas chances

adriano

Craques com a bola nos pés, mas com uma quedinha para bad boy. Esses são os casos de, pelo menos, três atletas que poderiam ser bons reforços para qualquer time do Campeonato Brasileiro, mas convivem com a fama de “Aprontões”.

O primeiro deles é Adriano Imperador. O atacante tem uma qualidade inquestionável, sabe marcar gols e tem faro de artilheiro, mas, ultimamente, perdeu qualquer noção de como é ser um jogador profissional, e está mais preocupado com a vida noturna do que com a de atleta.

Depois de ter uma passagem apagada pelo Corinthians após retornar da Roma, da Itália, o Imperador foi humilhado no Flamengo, passando pela Gávea sem disputar um jogo sequer.

Curtiu o desemprego por um longo tempo e, com a camisa do Atlético-PR, voltou a aprontar. Agora, diz nas redes sociais que está pronto para voltar a trabalhar, mas é possível dizer, sem receio, que apenas um clube disposto a queimar dinheiro daria nova chance ao camisa 9.

DESTAQUES
Foto com primeiras-damas do Barça entrega nova gata de Neymar
Acusado de racismo pode lucrar com venda de time de basquete

Perfil parecido com o do Imperador tem o meia Carlos Alberto. Apesar de ter esquecido há um bom tempo de como se joga um bom futebol, o carioca, campeão mundial pelo Porto no início dos anos 2000, está sempre empregado.

Passou como um raio pelo Goiás, disputando apenas seis jogos, levando quatro cartões amarelos, um vermelho, e não marcando um gol sequer, mas foi anunciado como reforço do Botafogo para a sequência do Campeonato Brasileiro. Sorte ou loucura dos dirigentes cariocas?

Jobson,que tem três passagens pelo próprio Botafogo em sua curta carreira, é o terceiro a se enquadrar neste caso. Habilidoso e competente com a bola nos pés, também se perdeu com a fama fora de campo, ostentou riqueza e mulheres na vida social e, para piorar, se envolveu com drogas. Hoje está suspenso do futebol por determinação da Fifa.



Redação do Torcedores.com