Após as homenagens a Senna, é a hora de rezar por Schumacher

Ayrton Senna foi justamente homenageado pelos vinte anos de sua morte. A imprensa, no geral, fez um trabalho extenso e digno de todos os elogios. Agora, faço um pedido aos fãs da Fórmula 1: vamos concentrar os esforços e rezar pela melhora de Michael Schumacher?

Sou a favor de sempre tentarmos valorizar os ídolos que estão vivos. Ok, Schumacher não era carismático, tinha fama de Dick Vigarista, mas quem conseguiu os números que ele teve na Fórmula 1? Sete títulos, 91 vitórias, 155 podiums, 68 pole positions. Por tudo que fez, o alemão tem que ter, no mínimo, o reconhecimento dos fãs do esporte. Senna também teve algumas atitudes pouco ortodoxas nas pistas e hoje é intensamente idolatrado, só para ficarmos no mesmo exemplo de comparação.

Quis o destino que Schumacher sofresse um acidente quase na véspera do ano novo (29 de dezembro), justamente fazendo uma das coisas que mais lhe dava prazer: esquiar na neve.

Infelizmente, o alemão alterna entre a vida e a morte. Momentos como o abrir de um olho, se acontecerem, devem ser intensamente celebrados como uma vitória de quem está deitado numa cama de hospital há pouco mais de quatro meses.

Não tenho condições de julgar o que é bom ou é ruim para uma pessoa. Por isso, fica aqui a minha torcida: que Deus permita que aconteça o melhor a Schumacher. Só não acho justo que esta situação perdure por muito tempo.

Crédito da foto: Reprodução



Jornalista de esportes desde 2005, com passagem pelo UOL e Terra. Editor de comunidades do Torcedores.com e blogueiro do renanprates.com