Adilson erra, mas Vasco vence o Treze

A teimosia de Adilson Batista quase custou mais uma derrota para o Vasco. Por sorte, o Treze-PB apresentou muitas limitações e não conseguiu se valer dos defeitos do cruzmaltino: resultado, como quem não faz leva, o Gigante da Colina venceu, mas não eliminou a partida de volta.

Jogando em Campina Grande, o Vasco pareceu apresentar um futebol mais convincente do que o da partida de domingo, mas o bom inicio apenas ficou nisso e, com uma atuação limitada, Reginaldo e companhia não deram conta do adversário.

Para se ter uma ideia, a superioridade inicial do time de Adilson Batista só produziu algo concreto aos 17 minutos, quando Danilo arriscou um chute de fora da área. Dois minutos depois, porém, foi a vez do Treze responder e, com malandragem, o experiente Esquerdinha ganhou do jovem Douglas Silva, que vazia sua estreia pelo profissional, e marcou o gol do time paraibano.

A possibilidade de derrota provocou uma grande pressão no time vascaíno que, sem criatividade, não ameaçou. Clébson e Jonatas Belusso foram quem produziram algo pelo clube da casa, enquanto o Vasco só voltou a esboçar reação com Danilo, aos 42 minutos, em mais um chute de fora da área.

Sem profundidade e opção criativa, Adilson mexeu na equipe durante o intervalo. Montoya e Reginaldo deram lugar a Yago e Marquinhos. O Vasco, ainda que não tenha melhorado da água para o vinho, fez logo o gol de empate.

Marquinho foi na linha de fundo pela esquerda e cruzou para Talles empatar a partida, aos 5 minutos. Dentro da área, aliás, o garoto não costuma decepcionar. O Vasco, entretanto, continuou a dar espaços ao Treze que, por duas vezes, só não fez o gol graças a intervenção do inseguro Diogo Silva.

Não obstante, uma hora o talento iria aparecer. Douglas, aos 32, cobrou excelente falta, mas Gilson fez uma defesaça. O camisa 10, porém, não quis desistir e, aos 40 minutos do 2º tempo, acertou um lindo cruzamento para Talles virar a partida.

Com o resultado, Adilson garante mais confiança para o jogo de sábado, contra o Atlético-GO, com portões fechado em São Januário. No entanto, isso não apaga o fato de enquanto a base foi preterida, o Vasco jogou mal e não foi capaz de superar um adversário tão limitado.