Listagram: 10 comemorações emblemáticas do futebol

Reprodução

Evitar rebaixamento no tribunal não é legal. Abandonar jogo por causa de liminar também não. Estádio superfaturado muito menos. Mas comemoração de gol é legal pra cacete. Então vamos tentar esquecer todas as cagadas que vêm acontecendo no futebol ultimamente e exaltar as coisas boas?

LEIA MAIS:
Acesse a página do Listagram, parceiro do Torcedores.com
Top 5: Comemorações de gol que esperamos ver na Copa no Brasil
Top 10: Relembre as melhores comemorações em Copas do Mundo

Vamos, com 10 comemorações emblemáticas do futebol. Você pode achar que não são as mais importantes, nem as melhores… Mas que são marcantes, isso são. E se considerar que faltou alguma, posta link aí nos comentários!

Não é futebol, mas vale a homenagem.

Comemoração do Bolt: não é futebol, mas vale a homenagem

10. Marcos – Libertadores 99
Pra mim é emblemático, e tenho certeza que pra qualquer palmeirense que ler essa lista também é. A narração, a felicidade do Marcão correndo de braços abertos quando o Zapata erra o pênalti, o Paulo Nunes colocando a máscara de porco, a explosão da torcida… Tudo é fantástico. Volta, 99. Volta.

9. Balotelli – O Hulk
Balotelli tem meu respeito porque é polêmico, igual o Madson. Ele pode não ter uma tatuagem com as palavras “o foda” gravadas no braço, mas passa essa ideia tirando a camisa e fazendo cara de poucos amigos, o que é a mesma coisa. Ainda em dúvida se a comemoração é mesmo emblemática? Bom, tem ela no Fifa (de videogame, se por acaso você não entendeu). Se tem no Fifa, é porque é marcante.

balotelli-hulk

8. C. Ronaldo – Calma, eu estou aqui
Eu já fui desses que criticam o C. Ronaldo por “jogar pra câmera” ou coisas do tipo, mas a verdade é uma só: ele joga muita bola, e sabe disso. Tanto que a comemoração de gol do cara é essa. Tem quem diga que ele “se acha demais”, “paga de arrogante”, “Messi é melhor”, blá blá blá, blé blé blé. Mas quem pode, pode, ué. Sorte de quem tem ele no time.

to aqui 1

to aqui 2

7. Bebeto – Embala neném
Essa do Bebeto na Copa de 94 em homenagem ao filho é mais que marcante, é histórica (assim como outras que ainda aparecerão nessa lista). Tanto que foi copiada inúmeras vezes depois. E hoje o moleque tem seus 19 anos e joga no Flamengo, mas provavelmente não tem metade do talento do pai. Normal.

bebeto-o

6. Dancinhas do Neymar
Não entendo quem critica. Porra, deixa o moleque. Daqui a pouco vão querer que ele jogue de terno, povo chato. As dancinhas são legais! São sim, tem no Fifa, pode confiar.

ney

Leia também

5. Kidiaba – Dança do “Chupa, Inter”
Jogadores africanos dão um show à parte nas comemorações de gol. Tanto que a maior lembrança da eliminação do Inter pro Mazembe no Mundial de Clubes de 2010 não é nem o gol do time congolês, mas a comemoração do nosso glorioso Kidiaba. Se tivesse prêmio individual pras comemorações, ele levaria fácil.

kidiaba

4. Pablo Armero – Armeration
Rebolation? Coisa de loser. Em sua passagem pelo Palmeiras, em um jogo contra o Santos, o lateral esquerdo colombiano Pablo Armero elevou a prática das comemorações com dancinhas a um outro nível. Após executar um de seus poucos cruzamentos certos em jogos pelo Verdão, o cara não se conteve e fez a alegria da torcida (até da adversária) com seu SUÍNGUE.

3. Rashid Yekini – Abraço na rede
No quesito emoção é impossível superar essa comemoração do nigeriano, falecido em 2012 aos 48 anos. Após gol contra a Bulgária na Copa de 1994, o cara simplesmente abraçou a rede e começou a chorar em agradecimento. É o tipo do caso em que o que menos importa é como o gol foi feito. É o tipo de coisa que só acontece em Copa do Mundo.

2. Seleção de Senegal – Dancinha contra a França
Copa de 2002, Senegal x França. Gol de Senegal. Comemoração: jogadores estendem camisa no gramado e começam a fazer um tipo de DANÇA DA CHUVA em volta dela. É por isso que eu amo seleções africanas. Só tem mito. Só em gênio. Como superar em criatividade uma comemoração dessas? NÃO DÁ. Simplesmente NÃO DÁ.

1. Pelé – Soco no ar
Se eu colocasse qualquer outra comemoração em primeiro lugar nessa lista, vocês podiam mandar me internar. Pelé foi tão rei que fez um gesto simples como este virar lendário. Não é dancinha engraçadinha, não é tão criativo, não tem tanto apelo emocional… mas é, de longe, o mais emblemático de todos. Tanto que virou até estátua no Maracanã. Merecido.

pele



Jornalista, músico e caga-regras profissional. Entre as coisas mais legais que já fiz na vida, estão a co-autoria do Listagram e do Copa do Mundo em 3×4.