Torcedor é muito exigente ao pintar Guardiola como vilão

Perdedor, fracassado, enganador, modinha… Como o futebol é cruel, amigo leitor. Bastaram duas derrotas nas partidas de semifinal da Champions League para Guardiola deixar de ser o gênio da bola para se tornar o vilão que estragou o time “redondo” do Bayern de Munique.

Bastou o vareio do Real Madrid para o futebol de posse de bola de Pep ser visto com maus olhos e para que duvidassem que ele saberia treinar outra equipe que não fosse o Barcelona. Parece haver um certo prazer em ver o futebol eficiente não surtir resultado.

Talvez o torcedor de memória curta não lembre, mas Guardiola levou o Bayern aos títulos da Supercopa Europeia, Mundial de Clubes da FIFA, Campeonato Alemão e uma semi de Champions League. Nada mal para um fracassado de modinhas, não? Tê-lo no clube é um investimento para mudança de filosofia. Se não para títulos imediatos, a mudança certamente renderá pleno domínio em um futuro próximo.

A sorte de Guardiola é estar na Europa. Se estivesse no Brasil, já teria “rodado” na saída de campo.

Por mais vexatória que tenha sido a derrota, a eliminação não derruba por completo os méritos do técnico. Pelo contrário! Foi uma aula merengue de contra-ataque. Ele já mostrou que sabe aprender com derrotas, se adaptar e mais uma vez pintarão como favoritos em qualquer campeonato da próxima temporada.

Veja algumas reações do Twitter para a queda de Guardiola na Champions:



Flávio Moreira é jornalista especializado em mídias sociais. Com passagens por UOL e Electronic Arts, é apaixonado por esporte e acredita na produção de conteúdo feito de torcedor para torcedor.