Minotauro e Roy Nelson lutam contra a má fase

Rodrigo Minotauro e Roy Nelson lutarão nesta sexta-feira (11), em Abu Dhabi (Emirados Árabes), de olho na oportunidade de disputar o cinturão dos pesos-pesados do UFC. Mais do que nocautearem um ao outro, ambos querem dar fim ao mau momento dentro do octógono.

Difícil apontar quem está em situação melhor. Minotauro, além do status de lenda no MMA (além de ex-campeão interino do próprio UFC, o baiano também tem no currículo o cinturão do Pride), tem menos derrotas seguidas do que Nelson, que já trocou farpas com o presidente do evento, Dana White.

Mas no octógono do UFC, Minotauro tem oscilado. A única vez que conseguiu emendar duas vitórias seguidas foi em seus dois primeiros embates, contra Heath Herring e Tim Sylvia. Depois disso, alternou entre derrotas (duas delas para Frank Mir, primeiro atleta a nocauteá-lo, no UFC 92, e a finalizá-lo, no UFC 140) e triunfos (o último, contra Dave Herman, no Rio de Janeiro, em outubro de 2012).

Screen Shot 2014-04-08 at 10.44.54 AM

Já o “Big Country” chama a atenção pela barriga saliente, a longa barba e pela capacidade de absorver golpes. Nelson foi nocauteado apenas uma vez na carreira, por Andrei Arlovski no já longíquo 2008, dois anos antes de chegar ao UFC.

Contudo, o desempenho não tem sido lá dos melhores. Nelson chega para o combate contra Minota depois de perder duas vezes por pontos (para Stipe Miocic e Daniel Cormier). Um terceiro revés em sequência pode complicar a situação do gordinho.

Com todos os antecedentes, a promessa é de luta boa. O americano tem a mão pesada, resistência fora do comum, que lhe renderam 19 vitórias na carreira (9 derrotas completam o cartel). Minotauro tem chão afiado e a experiência de 44 lutas de MMA (34 vitórias, 8 derrotas, 1 empate e 1 “no-contest”).



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.