Opinião: Messi e Cristiano Ronaldo lideram exércitos de um homem só

eleição

Lionel Messi. Atacante argentino, 26 anos, quatro vezes eleito o melhor jogador do mundo. Camisa 10 do Barcelona.

Cristiano Ronaldo. Atacante português, 29 anos, eleito melhor jogador do mundo em 2008 e 2013. Camisa 7 do Real Madrid.

Não são poucas as semelhanças entre os dois maiores jogadores do futebol mundial atualmente. Capitães de suas equipes, não têm companheiros à altura em suas seleções. Comando um exército de um homem só, o que gera um fato curioso: os dois maiores jogadores da atualidade não são, coletivamente, candidatos ao título da Copa do Mundo.

Tente pensar friamente, leitor. O Brasil tem Neymar, mas também tem Thiago Silva, Oscar, Marcelo, Daniel Alves… jogadores que são titulares em seus clubes e principais nomes no futebol europeu atualmente.

A Alemanha tem Schweinsteiger, mas também tem Lahm, Neuer, Müller, Özil, Reus… situação idêntica à da Seleção Brasileira.

Já Espanha tem Iniesta. Ou seria Xavi o principal nome do país ibérico? Diego Costa, Casillas, Xabi Alonso e Mata são outros destaques da Fúria que tentará o bicampeonato no Brasil.

Esses três países, sem sombra de dúvida, são candidatos ao título. Vejamos, agora, Argentina e Portugal.

Os sul-americanos são comandados por um Lionel Messi muito mais brilhante no Barcelona do que com a camisa celestre. Por seu país, o atacante tem atuações muito distantes daquelas que enchem os olhos de quem gosta de bom futebol.

E os principais companheiros estão, também, na linha de frente: Agüero (Manchester City), Higuaín (Napoli) e Lavezzi (Paris Saint-Germain). Tevez, da Juventus, dificlmente, estará na Copa. Outros nomes de destaque são o volante/zagueiro Mascherano, companheiro de “La Pulga” no Barcelona, e o ponta Di María, do Real Madrid.

Portugal vive situação semelhante: há nomes conhecidos, de fato, mas nenhum do quilate do craque. Os companheiros mais conhecidos de CR7 no time encarnado são o zagueiro Pepe e o lateral-esquerdo Fábio Coentrão (ambos do Real Madrid), os meia João Moutinho (Monaco) e Raul Meireles (Fenerbahçe) e os atacantes Hugo Almeida (Besiktas), Nélson Oliveira (Rennes) e Helder Postiga (Lazio).

Dentro do Mundial, a situação é mais favorável aos argentinos, cabeças de chave do Grupo F. Inicialmente, o país enfrentará Bósnia, Irã e Nigéria. Mesmo que Messi não seja brilhante, possivalmente os sul-americanos avançam às oitavas na primeira posição.

Os lusos estão no Grupo G e têm caminho mais difícil que a Argentina: os rivais são a cabeça de chave Alemanha, Gana e Estados Unidos. Portugal vai brigar com a Alemanha pela liderança do grupo, com chave de ser eliminado caso africanos e americanos joguem como nunca e Cristiano Ronaldo esqueça o futebol na Europa.

 



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.