Erick Silva não é só o novo affair de Grazi. Veja do que ele é capaz no UFC

O capixaba Erick Silva será a princial atração do “UFC Fight Night Brown x Silva”, que acontece no próximo dia 10 de maio. Em Cincinnati (EUA), ele enfrentará o norte-americano Matt Brown. É a oportunidade de o meio-médio (77 kg) de Vila Velha engrenar a segunda vitória seguida na organização.

Faixa preta de jiu-jitsu e com histórico no muay thai, Erick foi um lutador promissor antes de chegar ao UFC, em 2011. Havia feito 14 lutas na carreira, com 12 vitórias, um “no-contest” e apenas uma derrota, por decisão. No cartel, estava o cinturão dos meio-médios do Jungle Fight, maior evento de MMA da América Latina e que costuma ser ponte para o UFC.

No octógono, iniciou bem: nocauteou o compatriota Luis Ramos no UFC 134 (agosto de 2011, no Rio). A próxima luta já foi em no card principal do UFC 142 (janeiro de 2012, também no Rio), mas Erick perdeu para Carlo Prates após aplicar socos na nuca e ser desqualificado.

Depois desse combate, Erick oscilou: finalizou Charlie Brenneman com um mata-leão em junho de 2012, perdeu nos pontos para Jon Fitch em outubro de 2012, aplicou um lindo triângulo invertido em Jason High, em junho de 2013, foi nocauteado pelo coreano Dong Hyun Kim e deu o troco no japonês Takenori Sato, em fevereiro deste ano.

É muito cedo para dizer que Silva se tornará uma ameaça ao campeão Johny Hendricks, até porque, hoje, ele é apenas o 14º no raking dos meio-médios. Mas, se quiser sonhar com o cinturão, o lutador apontado como novo affair de Grazi Massafera terá de começar a emendar uma boa sequência de vitórias. Mais uma derrota poderá deixá-lo numa corda bamba perigosa.



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.