Disparar contra Mano é um caminho cômodo para Sheik

Émerson Sheik saiu do Corinthians de forma conturbada rumo ao Botafogo. Até estreou na partida contra o Inter no último final de semana. Ele ensaiou um discurso de que ficaria quieto sobre a sua polêmica saída, mas não se aguentou. E escolheu um único culpado pelo fato: Mano Menezes.

As duas vezes em que Sheik deu entrevistas sobre a saída do Corinthians, ficou claro que tinha um objetivo único: detonar Mano Menezes e desqualificá-lo. O veterano atacante falou até em falta de caráter do treinador.

DESTAQUES
Quem será o próximo otário a contratar Adriano Imperador?
GOLS DA ZUEIRA: 2ª rodada do Brasileirão já prevê Palmeiras na Série B

“Eu não gosto dele. Não escondo de ninguém que não gosto dele”, disse Sheik para a rádio Mix, do Rio de Janeiro. Na exclusiva que deu ao Esporte Espetacular, da TV Globo, no último domingo, Sheik chegou até a dizer que atravessaria a rua se tivesse perto de encontrar Mano Menezes.

Por que Emerson Sheik escolhe esse caminho? Simples: por ser mais cômodo. Ele vai culpar a quem pela sua saída do Corinthians: a diretoria? Não dá, pois ele foi para o Botafogo por empréstimo. A torcida? Ninguém tem coragem de comprar briga com a segunda maior torcida do Brasil.

Quem lê este post pode até pensar: mas se Sheik voltar, não terá Mano como técnico? Este é o ponto. Quem garante? Agindo desta forma, Emerson deixa o caminho parcialmente livre para um retorno ao Corinthians. ‘Basta’ Mano Menezes não estar mais no comando do Timão.

Crédito: Reprodução/Instagram



Jornalista de esportes desde 2005, com passagem pelo UOL e Terra. Editor de comunidades do Torcedores.com e blogueiro do renanprates.com