D’Alessandro e a ironia de um craque esquecido pela própria pátria

D'Alessandro

Se o futebol brasileiro fechou as portas para Amauri, Diego Costa e tantos outros, e só se lembrou do talento destes jogadores quando eles optaram por defender uma seleção rival com nova nacionalidade, a Argentina tem à sua disposição um craque fiel, mas esquecido pelo treinador responsável por montar a equipe que disputará a Copa do Mundo no Brasil.

D’Alessandro, camisa 10 do Internacional, abriu o caminho para a sonora goleada sobre o arquirrival Grêmio na decisão do Campeonato Gaúcho, gastou a bola como vem fazendo desde que chegou ao Beira-Rio, mas não fez o suficiente para convencer Alejandro Sabella. Por que?

Se se naturalizasse brasileiro, D’Alê fatalmente estaria disputando com Oscar o posto de armador da seleção verde e amarela na luta pelo hexacampeonato. Na Argentina, a briga por espaço é, principalmente, contra Máxi Rodríguez, do Newell’s Old Boys.

Pelo que vem jogando no Internacional, o hermano mais brasileiro do momento teria, sim, lugar entre os convocados para a Copa.

Na cabeça de Sabella, no entanto, Banega, Ansaldi e Dí Maria (este, com justiça) estão na frente na lista de selecionáveis. Uma pena para a Copa, que perderá a chance de ver um craque em ação.



Flávio Moreira é jornalista especializado em mídias sociais. Com passagens por UOL e Electronic Arts, é apaixonado por esporte e acredita na produção de conteúdo feito de torcedor para torcedor.