Atlético-MG precisa de ‘meio’ Ronaldinho para melhorar em 2014

A partida entre os dois últimos campeões da da Libertadores foi muito aquém do que todos esperados. Grande parte da decepção dos torcedores está concentrada na discreta atuação de Ronaldinho, mais uma vez apagado e pouco criativo em campo.

DESTAQUES:
Opinião: Teimosia de Felipão pode custar caro na Copa
Opinião: Rusga entre Ibra e Thiago Silva vem em boa hora para o Barcelona
Episódio da cueca de Neymar mostra falta de comprometimento

Contra o Corinthians, em partida válida pelo Campeonato Brasileiro, o camisa 10 errou passes, cobrou escanteios bizarros e se escondeu na marcação adversária, deixando de chamar a responsabilidade para si. Diferentemente de 2013, quando foi o maestro da conquista da Libertadores, Ronaldinho tem visto jogadores como Diego Tardelli, Guilherme e Fernandinho tendo que compensar sua baixa produtividade.

Com nove jogos e apenas um jogo em 2014, teve neste domingo um pedido atendido pelo técnico Paulo Autuori e jogou os 90 minutos da partida. O craque quer sequência de jogos para recuperar a “magia” pela qual é conhecido.

O armador do Atlético-MG está longe de ser o gênio que deixava torcedores de boca aberta no Camp Nou, mas jogando metade da bola que sabe, Ronaldinho ainda pode ser muito útil na busca pelo bi da Libertadores e o título do Brasileirão. Com grande parte do elenco mantida e o camisa 10 usando mais experiência do que talento, o Galo ainda pode fazer bonito em 2014.



Flávio Moreira é jornalista especializado em mídias sociais. Com passagens por UOL e Electronic Arts, é apaixonado por esporte e acredita na produção de conteúdo feito de torcedor para torcedor.