Atleta caminha 100 km em três dias nos Lençóis Maranhenses; veja fotos

Foto: Marcelo Rabelo

O Brasil é sinônimo de grandes e caudalosos rios, de floresta e muitas praias. Mas quem imaginaria que esse país poderia ter uma paisagem similar ao Sahara?!

É difícil encontrar algo comparável à fascinante e singular beleza dos Lençóis Maranhenses onde é possível viajar e curtir um visual praticamente desértico em mais de 155 mil hectares de paisagem deslumbrante. Situado no litoral do Maranhão, às margens do Rio Preguiça, cruzar os Lençóis Maranhenses em um percurso de mais de 80 Km torna-se uma grande aventura na região. As dunas são imensas com seus mais de 40 metros de altura e as lagoas de água doce incríveis e incomparáveis com suas águas cristalinas e com tons de verde e azul incríveis e extremamente limpa.

Apesar de ser um grande deserto, chove bastante, e as águas das chuvas acabam por formar entre as dunas centenas de lagoas espalhadas praticamente por toda a área do parque e criando um verdadeiro oásis tropical criado pela a ação da natureza aos longo de milhares de anos. O fotógrafo Marcelo Rabelo alerta: “Por isso é muito importante escolher a época certa do ano caso você queira aproveitar as lindas lagoas para resfriar o corpo desse calor”.

Nos Lençóis, o índice pluviométrico chega a 1.600 mm por ano, ou cinco vezes mais do que a chuva média em regiões desérticas. A força das chuvas faz cair tanta água no primeiro semestre de cada ano que ainda sobram bilhões de litros, nem evaporados nem absorvidos pela areias, para formar as piscinas naturais que são a grande atração do local. As lagoas mais conhecidas são as chamadas Lagoa Azul e Lagoa Bonita, famosas pelo seu encantamento e condições de mergulho.

O percurso que fizemos foi cheio de belas paisagens e também um grande desafio: caminhar quase 100 km em 3 dias sob areia fofa e com o sol a pino é um dos melhores treinos que a montanhista Karina Oliani já fez na vida, afirma ela.

“Subir e descer duas enormes, cruzar lagoas que estão começando a encher e até mesmo os trechos de areias movediças fez com que meus pés sofressem muito nessa travessia” nos conta Karina que no carnaval passado estava com Marcelo escalando um vulcão nevado de mais de 6.000m na Bolívia para treinar pro Everest e nesse carnaval o casal foi para o outro extremo de temperatura.

A partir da orla marítima, ao norte, a força dos ventos monta e desmonta as dunas rumo ao interior, fazendo com que os poucos habitantes que vivem isolados nessa imensidão nos vilarejos de Queimada dos Britos e Baixa Grande tenham que deslocar suas casas para não serem engolidos pela força das dunas que ao longo dos anos se movimentam pelos Lençóis. Já imaginou ter que se mudar ou ser soterrado por uma duna?



Médica, apresentadora, atleta e aventureira. Pratica esportes como Escalada em rocha, Motocross, Jiu-jitsu, Downhill, Rafting, Canoagem, Hipismo, Enduro, Surf, Tow in, Corridas de Aventura, Kitesurf, Sandboard, Esqui aquático, Slalom, Esqui, Snowboard, Bobsleding, Snowmobile, Asa delta, Pára-quedismo, Paraglider, Bungee jump, entre outros.