Dinheiro do Marketing muda a estrutura de receitas dos grandes clubes europeus

Em dois diferentes momentos abordei nesse OCE a estrutura das receitas dos maiores clubes europeus – o grupo Top 10 – e que são, ao menos por enquanto (otimismo…), os maiores do mundo. A base para esses trabalhos é o estudo anual sobre o futebol da consultoria internacional Deloitte – o Football Money League. Trata-se, sem dúvida, do maior, mais completo e melhor estudo sobre futebol europeu que temos disponível. Em suas últimas edições o leque tem se aberto um pouco, muito pouco, ainda, mas já o bastante para falar de América do Sul. Em breve, eu acredito, também a América do Norte e a Ásia estarão presentes.

Os grandes clubes, os mais persistentes em sua grandeza, têm uma estrutura de receitas bastante equilibrada, dividida entre o Broadcasting (direitos de transmissão para TV e as novas mídias), o Matchday (bilheteria, carnês da temporada, sócios-torcedores, receitas geradas por atividades nos estádios, principalmente, como diz o nome, no dia do jogo, mas não só) e o Commercial, que optei por chamar de Marketing, já que as diferentes ações de marketing compõem a essência dos ganhos do Commercial. Em algumas análises do OCE sobre o futebol brasileiro mantenho a mesma estrutura, ignorando, entre outras, as receitas com transferências de jogadores. Atualmente, a maioria das análises dos especialistas e empresas da área adotam esse critério, o que dá uma visão mais nítida sobre o desempenho de cada clube.

Tão logo saia a safra 2014 de balanços, com os números oficiais de 2013, voltarei a esse tema com a estrutura de receitas de nossos clubes, também já abordada mais de uma vez, e uma comparação com o Top 10. Enquanto a safra não chega, vamos aos números europeus.

7f519e38-c736-4d43-a2ca-083d1e279805_ViberPC 01032014 075450

Veja a noticia completa no Globo Esporte



Redação do Torcedores.com