City prepara oferta de R$ 750 milhões para tirar Messi do Barça, diz jornal

Depois de Neymar ter superado Cristiano Ronaldo como o jogador mais caro da história do futebol, Lionel Messi pode deixar as cifras do brasileiro para trás. O jornal espanhol ‘El Confidencial’, conhecido por reportagens nos bastidores do mundo da bola, publicou nesta quinta-feira que o inglês Manchester City se prepara para fazer uma oferta de 200 milhões de euros (cerca de R$ 750 milhões) para tirar o craque argentino do Barcelona. O valor é exatamente o mesmo da multa rescisória estipulada pelo clube catalão.

Esta não é primeira vez que o time inglês mostra interesse por Messi. Eleito o melhor jogador do mundo por quatro anos consecutivos (2009 a 2012), o Pulga já teria sido comunicado sobre a possível investida da equipe britânica.

Ainda de acordo com o ‘El Confidencial’, Messi tem sofrido pressão dos colegas de Barcelona por supostamente não estar se entregando em campo e isso poderia pesar na sua saída do time catalão. Tanto que, na semana passada, o meia e colega Cesc Fábregas foi questionado sobre o assunto durante uma entrevista coletiva. “Falso. Nada disso aconteceu”, afirmou o camisa 4 na ocasião.

Para colocar ainda mais lenha na fogueira, em fevereiro, o lateral argentino Pablo Zabaleta afirmou que Messi o questionou sobre como é viver em Manchester. Além de Zabaleta, o City ainda conta com outros dois argentinos: o atacante Kun Agüero e o zagueiro Martin Demichelis.

Ciente da sondagem do City, a diretoria do Barcelona já iniciou as conversas para renovar o quanto antes o contrato do ‘hermano’ – o atual vínculo vai até 2018. Caso assine um novo acordo com o time azul-grená, Messi, que está no time principal do Barça desde 2004 e soma 265 partidas (nunca defendeu outra equipe), deve se tornar o jogador mais bem pago do mundo.

Para manter o atleta, o Barcelona terá que gastar, de acordo com a imprensa espanhola, 240 milhões de euros (cerca de R$ 775 milhões) com o novo compromisso do craque, que seria de mais cinco anos. Os salários do argentino iriam subindo a cada ano. No primeiro, receberia 22 milhões de euros (R$ 71 mi), e no último 26 milhões de euros (R$ 84 mi). Somado a isso tudo, o time catalão ainda terá que bancar as altas taxas impostas pelo governo espanhol, o que praticamente dobra o valor final.



Redação do Torcedores.com