Hernanes mira Seleção e vaga de titular: ‘Demoro, mas chego’

Hóspede em um hotel de Milão há três semanas, com a esposa, os três filhos e a babá, Hernanes não perdeu a tranquilidade com a agitada mudança da “Cidade Eterna” para a capital italiana da moda. O “Profeta” passou de ídolo do Lazio a queridinho do Internazionale em menos de dois dias. Deixou a antiga morada em lágrimas, depois de uma transferência que envolveu até ameaças de morte aos dirigentes do seu ex-clube. Mas a rivalidade não pesou na hora dos fãs nerazzurri acolherem o pernambucano como novo astro do elenco.

Veja o que o Hernanes falou:

De ídolo do Lazio a ídolo do Internazionale mesmo sem tocar na bola. Como é que foi ser recebido como ídolo da torcida?

HERNANES: Uma experiência nova, não esperava que os torcedores me recebessem dessa maneira, porque é uma equipe rival do Lazio. Eu esperava os torcedores um pouco mais apreensivos e na expectativa das minhas atuações. Mas eles me acolheram como se eu já tivesse jogado aqui, e isso foi interessante. Eu me senti muito bem com a recepção.

Foi uma transferência complicada, envolveu lágrimas e ameaças de morte, você pode explicar como é que tudo aconteceu?

A torcida do Lazio e o presidente já têm problemas há muito tempo entre eles, e eu fui envolvido no meio disso tudo. Eles pensaram que ele queria me vender e que eu não queria sair, mas não foi nada isso. As lágrimas aconteceram porque eu estava muito feliz com a transferência para o Inter, mas me emocionei porque ao mesmo tempo me sentia muito bem em Roma. Quis mudar por desejos e ambições profissionais. Escolhi o Inter de Milão, mas sabia naquele momento que estava renunciando a tudo aquilo que tinha construído em Roma: aos torcedores, à cidade e a tantos amigos que fiz durante esses quatro anos.

Com a mudança para o Inter de Milão você contava ter ainda mais credibilidade na seleção, mas na primeira convocação de Felipão desde que você mudou de clube o seu nome foi excluído da lista. Tem receio de não ir para a Copa?

Estou muito confiante no trabalho que venho fazendo. Sei que o Felipão é um cara que analisa tudo. Ele é muito observador, tenho certeza que observou meu trabalho. Agora quero me manter bem no Inter, continuar fazendo o que estava fazendo no Lazio e mostrando meu futebol. Não estou preocupado, quero muito estar na Copa, sei que trabalhei muito para isso, mas não depende só de mim. Estou bem confiante e tranquilo.

A competição por uma vaga no meio de campo da seleção está ficando cada vez mais lotada, com Paulinho e Luiz Gustavo como titulares. Felipão já testou você, Lucas Leiva, agora vai testar o Fernandinho também. Você teme a concorrência?

A seleção brasileira sempre foi muito disputada, sempre teve e vai ter muitos bons jogadores. E a disputa é assim, acirrada. Mas eu estou num momento muito bom da minha carreira e confio no meu potencial. Sei que a disputa é grande, mas eu confio em mim.

Confira a entrevista completa no Globo Esporte



Redação do Torcedores.com