Há 50 anos, Cassius Clay conquistava seu 1º título mundial e dava início à lenda Ali

Foi em um 25 de fevereiro de 1964 que Cassius Clay assombrava o mundo. O nocaute técnico sobre o então campeão Sonny Liston garantiria àquele garoto atrevido seu primeiro título mundial dos pesos pesados. Nos dias seguintes, Clay deixaria de existir, dando lugar a uma verdadeira lenda do esporte mundial: Muhammad Ali. Dias depois da conquista, o moleque com ar dos mais petulantes mudava de nome e se eternizava na história do esporte.

A história cinematográfica teve início muito antes. Da medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de 1960, em Roma, a uma das lutas mais emblemáticas da história do boxe, quatro anos depois, Clay conquistou 19 vitórias, sendo 15 por nocaute, e nenhuma derrota. A trajetória meteórica daquele moleque de 22 anos, rápido, forte e de uma língua mais do que afiada, o credenciava a desafiar ao favorito Liston, 31 anos, 35 vitórias, 24 por nocaute e 1 derrota.

300_b8d7a5d0-83b3-3db5-878d-0c2efe1ef5dd

O palco foi o Convention Hall, em Miami Beach, na Flórida. A vitória de Liston chegou a ser tratada por muitos como uma verdadeira barbada. Afinal, eram 28 vitórias seguidas. Nas duas últimas vezes que entrara no ringue, havia derrotado Floyd Patterson: a primeira para conquistar o título, a segunda para defender o cinturão, com um nocaute arrasador no primeiro round. Assim, muitos, inclusive especialistas, apontavam nova vitória, mais uma vez nos primeiros assaltos.

Por outro lado, mesmo com um retrospecto positivo e um ouro olímpico no currículo, Clay era apontado como o grande azarão da noite. Nas casas de apostas, uma vitória sua sobre o campeão pagava impressionantes 7 para 1.

A Revanche

O segundo encontro entre os dois aconteceu em 25 de maio de 1965, em Lewiston, Maine. Ali venceria novamente, dessa vez por nocaute no primeiro round.

Ao derrubar Liston, Ali não foi para o seu córner. Ao contrário, permaneceu em pé ao lado do campeão, gritando com uma veemência assustadora: “Levante-se e lute”, emendando ainda um palavrão.

Liston até se levantou, mas, sem condições de continuar, não lutou. Nova vitória, nova lenda, mais história: a cena de Ali em pé, urrando, e Liston no chão, indefeso, se tornou um ícone do mundo esportivo.

Veja o video da primeira luta:

Veja o video da segunda luta:

Veja a noticia completa no ESPN



Redação do Torcedores.com