Fluminense faz um favor ao Corinthians e vira time mais odiado do Brasil

Com a consolidação da maior vergonha da história do futebol brasileiro, o tri-tapetão para tirar o Fluminense da Série B e o rebaixamento da Portuguesa por uma escalação irregular em um jogo no qual ela empatou, o Tricolor carioca conseguiu um título inacreditável: virou o time mais odiado do Brasil, superando o Corinthians, cuja torcida assumia a fama com “Contra Tudo e Contra Todos” da Libertadores de 2012.

A rivalidade das outras torcidas com o Corinthians virou fichinha perto do ódio que dá um clube que toda vez que deve jogar a Segundona acaba resgatado dela por uma canetada. Dentro do campo, o time carioca foi rebaixado três vezes e só caiu de fato em uma, fora o título da Série C que, como se fosse uma promoção da Black Friday, rendeu um acesso direto para a Série A.

Fora dos gramados, virou sinônimo do que é mais vergonhoso. Vivemos em uma época de reconstrução da ética neste país. O Todo-Poderoso ex-ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, hoje é um presidiário após um caso de corrupção que envolveu parlamentares e diversos sanguessugas da política nacional. O ex-presidente do partido que governa o Brasil há dez anos, José Genoino, também foi condenado e está em prisão domiciliar. Era a volta da moral e da Justiça, proclamaram. Menos no futebol.

Eurico Miranda disse ao Jogo Aberto, da Band, que se fosse um clube grande a ser rebaixado com a perda de pontos, e não a Portuguesa, a punição não seria aplicada. Quem falou é um símbolo da vergonha que era nosso futebol nos anos 1990 e 2000. E falou com propriedade. Aos 19 clubes do Brasileirão, a lei, ao Fluminense, tudo.

Hoje o futebol morreu para quem era apaixonado por esse esporte. Aos torcedores que me xingaram pelos posts anteriores, apenas peço que economizem energia para fazer uma reflexão sobre a vergonha que é cair e não cair. Ser resgatado em 75% das vezes em que deveria disputar a Série B. E lembrar que o Fluminense de verdade não deveria ser esse absurdo em que se transformou. O Flu de verdade era aquele campeão brasileiro de 2012, 2010, com sobras, jogando bonito. Campeão da Copa do Brasil de 2007 quando ninguém esperava. Campeão carioca de 1995 com um gol de barriga histórico de Renato Gaúcho.

Vice, sim, da Libertadores de 2008, mas em um jogo do qual eu prefiro me lembrar não pela frustração diante da LDU nos pênaltis, mas pela heróica retomada após uma derrota por 4 a 2 fora de casa e um gol sofrido logo nos primeiros minutos de jogo. Fluminense, você tem história suficiente para ser um dos maiores do país. Mas também para ser justamente o mais odiado por suas manobras extra-campo.



Redação do Torcedores.com