Clássico carioca foi indigno da tradição de Flamengo e Vasco

Foto: Site oficial do Vasco
 

Graças a Deus o clássico deste domingo entre Flamengo e Vasco não foi no Maracanã. Seria um desrespeito com o estádio que presenciou grandes jogos dessa dupla. O duelo não foi digno do que representa um clássico deste porte. Flamengo e Vasco fizeram um jogo com muitos erros e sem nenhum lance que pudesse fazer valer o ingresso daqueles mais de 30 mil torcedores em Brasília. Mais parecido com uma pelada de fim de tarde, as equipes ficaram no empate em 1 a 1, que no final das contas foi ruim para os dois.

O duelo, apesar de muito brigado no meio de campo, pode ter sido um dos piores do Campeonato Brasileiro. Tanto Flamengo quanto Vasco erraram muito, e foi exatamente em dois desses erros que saíram os gols da partida.

Pelo lado vascaíno, Cris – muito mal durante todo o jogo – vacilou e Paulinho, esperto, tocou para Hernane. O brocador, livre de marcação, só teve o trabalho de mandar para o fundo das redes e marcar seu 10° gol no Brasileirão. Já pelo lado do Flamengo, João Paulo devolveu a “gentileza”. O jogador bobeou e Jhon Cley acertou um belo lançamento para Willie. Em velocidade, o jogador tocou na saída de Paulo Victor e deixou tudo igual.

No final, a igualdade fez jus ao pouco que fizeram Flamengo e Vasco neste domingo no Mané Garrincha.

O empate deixou o Flamengo estagnado na zona intermediária da tabela, na 11ª posição com 34 pontos. O rubro-negro perdeu a chance de chegar a 8ª posição e vislumbrar o G4. A equipe de Jayme de Almeida terá a chance de se recuperar em casa, na quinta-feira, diante do Internacional.

O Vasco, que com a vitória na última rodada havia deixado a zona de rebaixamento, com o empate com o Flamengo neste domingo e a vitória do São Paulo terá que “dormir” no Z4 até quarta-feira, quando encara o Fluminense. A equipe de São Januário soma 29 pontos e é o 17°. O cruzmaltino só deixa a zona da degola na próxima rodada se superar o tricolor e o São Paulo tropeçar diante do Cruzeiro.

 

 

 

 



Carioca, jornalista e apaixonada por rádio e futebol. Fiz parte do site Fanáticos por Futebol por três anos, e nesses anos tive a certeza de que é essa vida de leads "destruídos" aos 48 minutos do segundo tempo que eu quero para o resto da vida!