Kaká voltou a ser o velho e bom camisa 10 que a seleção precisa

Kaká, sim. Robinho, nem pensar!

Demorou apenas uma semana no Milan para Kaká voltar a ser o camisa 10, o meia armador, que a seleção brasileira precisa. Bastou um jogo, com assistência, braçadeira de capitão e goleada, para ele mostrar ao Felipão que o Brasil tem novamente um bom e velho ‘cérebro pensante’, e com a experiência necessária.

Não venha falar de Oscar, Willian ou Ramires. Muito menos de Ronaldinho Gaúcho. São bons jogadores, sim. Mas o cara certo para servir Neymar, Hulk (Bernard) e Fred (?) na Copa de 2014, aqui na nossa casa, é Kaká, aos 32 anos.

Na vitória por 4 a 0 contra a (fraca) seleção da Austrália, num Mané Garrincha quase vazio, Ramires mostrou seu valor. Mas ele não é, nem nunca foi, meia de armação. Disputaria posição com o Paulinho, como segundo homem de meio-campo, e só. Só que Paulinho, como sabemos, não tem concorrente à altura no momento.

Oscar, na minha opinião, é muito discreto, assustado e inexperiente para encarar um clássico numa Copa do Mundo. Tá bom, o garoto, que completa 22 anos hoje (9 de setembro), foi bem nas Confederações. É rápido, inteligente, mas não tem estofo para pegar uma Argentina, uma Alemanha, na frente de quase 78 mil pessoas.

Quando Neymar não conseguiu ajudá-lo no meio, passou apagado por algumas partidas na maior conquista brasileira neste ciclo do Mundial.

Já Kaká, não. Prova do prestígio do cara foi vista já na estreia dele pelo Milan, no domingo. Não só entrou na equipe titular como foi o capitão do time. No primeiro jogo da volta! Ele agradeceu o goleirão Amelia, que lhe deixou a braçadeira. E disse que ficou arrepiado com o gesto:

“Foi uma semana fantástica para mim. No amistoso, foi arrepiante usar a braçadeira de capitão e foi uma surpresa. Não esperava e agradeço ao Amelia por esse gesto honroso. Pensamos que poderia ser algo positivo, tanto para mim quanto para o Milan”, disse Kaká, em entrevista à “Sky Sport Italia”.

“Pensamos que seria algo positivo, para mim e para o Milan”. Sim, sem dúvida é esse o cara que precisamos para carregar nosso ataque em 2014. Você concorda?

Imagino a seleção escalada assim, na estreia em 12 de junho, às 17h, na Arena Corinthians: Julio César; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo, Paulinho e Kaká; Neymar, Hulk (ou Bernard) e Fred.

Só para matar as saudades, seguem dois vídeos do Kaká.

Primeiro, os melhores momentos dele na vitória por 4 a 0 sobre o Chiasso, no domingo:

Depois, o golaço que ele fez com a 8 da seleção contra a Croácia, estreia da seleção na (bisonha) Copa de 2006. Vitória por 1 a 0.



Redação do Torcedores.com