Discurso “é cedo para rebaixamento” pode ser fatal para o São Paulo

O goleiro Rogério Ceni é o maior ídolo do São Paulo na atualidade, participou das principais conquistas da história do clube e está próximo ao fim da carreira. Um atleta com essa posição tem o dever de manter a torcida calma em um momento de crise como o vivido pelo Tricolor, com sete derrotas seguidas e próximo à zona de rebaixamento do Brasileirão.

No entanto, o discurso apresentado por Ceni após a derrota para o Cruzeiro, em pleno Morumbi, no último sábado (20), de que “ainda está cedo para falar em rebaixamento” não pode ficar além disso, acalmar a torcida. Dentro do clube, os jogadores precisam ligar o alerta vermelho e tomar cuidado com a queda para a Série B.

Em agosto do ano passado, o então auxiliar-técnico de Felipão no Palmeiras, Flávio Murtosa, disse que era cedo para o Palmeiras falar em rebaixamento após uma série de resultados ruins na sequência da conquista da Copa do Brasil. Na ocasião, o elenco palmeirense era claramente fraco e não dava sinais de que poderia conseguir uma grande subida na tabela. O título nacional, portanto, foi um fator que mascarou a realidade trágica que era o time do Palmeiras.

No São Paulo de 2013, não há a figura de um título enganoso. O Tricolor foi eliminado no Paulistão e na Libertadores, e acabou derrotado duas vezes para o Corinthians na Recopa Sul-Americana. A crise atual reflete um time que não se encontra em campo, uma diretoria que pratica várias barbeiragens desde a demissão de Muricy Ramalho, em 2009, e uma linha de pensamento de que há muitas rodadas pela frente.

O tempo, já dizia Cazuza, não para. Não acordar agora poderá ser o suficiente para que o despertar do Tricolor seja na Série B, aquela que parecia tão improvável na época do tricampeonato brasileiro, do tri da Libertadores, do título mundial.



Redação do Torcedores.com