Brasil vence a França, mas Felipão ainda precisa definir convicções

O Luiz Felipe Scolari que assumiu a seleção brasileira pela segunda vez na carreira é bem diferente daquele que conquistou o pentacampeonato mundial e não abria mão de suas convicções.

Neste domingo, a nova seleção de Felipão venceu a França por 3 a 0, com gols de Oscar, Hernanes e Lucas, e acabou com dois incômodos jejuns: voltou a derrotar os franceses após 21 anos e bateu um ‘grande’ depois de três anos e meio de resultados insatisfatórios.

A vitória na Arena do Grêmio foi construída sem grandes sustos, então temos uma seleção pronta para a Copa das Confederações? Não, não temos. A equipe ganhou uma cara, mas ainda precisa das convicções do seu treinador.

Desde a sua volta, Felipão tenta adotar um sistema de futebol moderno, optando por dois volantes que saem para o jogo e três atacantes. O problema é que não parece que o treinador está à vontade com essa formação.

A consequência é ‘barrar’ a vocação ofensiva de Paulinho. O volante vive grande momento no Corinthians e sempre que teve liberdade na seleção levou perigo, mas o técnico já avisou que “sua função não é marcar gol”, dando mostras que gosta de vê-lo mais atrás.

A solução estaria na filosofia de Felipão em sempre contar com um ‘cão de guarda’ no seu meio de campo. Nesse caso, a vaga de Luiz Gustavo poderia ser ocupada por Fernando, que recebeu a camisa 5 e parecia ser o preferido do treinador, ou com David Luiz sendo colocado no meio, com Dante como dupla de zaga com Thiago Silva.

Outra modificação que gostaria ver no time verde e amarelo é entrada de Hernanes. O jogador da Lazio poderia ocupar a vaga de Hulk, dividindo a responsabilidade com Oscar na criação, e foi bem nos jogos contra Inglaterra e França.

Veja os gols:



Redação do Torcedores.com